IMPOSTÔMETRO:

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER --

ANÚNCIO:

ANÚNCIO:

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

4 benefícios da atividade física para o coração

A atividade física adiciona anos à vida de quem a pratica. Listamos alguns de seus benefícios e por que vale a pena sair do sedentarismo


A 7ª edição dos Indicadores de Referência de Bem-Estar no Município, realizada neste ano, mostra que nos últimos três anos os habitantes estão praticando atividades física com frequência. Parte disso resulta da implantação de parques e áreas de lazer na cidade de São Paulo. A cidade possui mais de 100 parques municipais (com equipamentos de ginástica e quadras poliesportivas) e 320 km de ciclovias. E o que as pessoas ganham com isso, além da possibilidade de interagir com a natureza? Muitas vantagens, principalmente para o coração. Veja só:


1-Diminui os riscos de doenças cardíacas e estresse
“As pessoas que praticam atividade física regularmente têm redução do risco cardiovascular. As vantagens estão relacionadas à redução do colesterol e dos níveis de glicemia, pois quando praticamos exercício, aumentamos o nosso metabolismo e queimamos ‘gordura’ e ganhamos massa magra, contribuindo para diminuição da pressão arterial e do estresse”, explica Agnaldo Pispico, médico cardiologista e diretor do Centro de Emergências da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP). “Dieta saudável e atividade física regular são investimentos importantes para viver mais e chegar a velhice com saúde não só do coração, mas também com vitalidade muscular para aproveitar a longevidade que estamos atingindo com qualidade”, completa Pispico.


2-Promove bem-estar e felicidade
Durante a atividade física acontece a liberação de hormônios como a endorfina, responsáveis pelo bem-estar durante e após o exercício. Tudo isto junto justifica colocar a atividade física como item número um da agenda e não dar a famosa desculpa de não ter tempo para exercícios”, adverte o especialista, que reitera que a simples mudança de hábito sedentário para ativo já garante proteção ao coração.


3-Fortalece o sistema imune
Praticar algum tipo de atividade física pelo menos três vezes por semana ajuda a blindar o sistema imune. Em outras palavras, o risco de pegar uma gripe ou resfriado é menor quando você se movimenta: o corpo não tem apenas a musculatura e ossos fortalecidos, mas todos os tecidos e funções.


4-Melhora a autoestima
Não são apenas os hormônios do bem-estar os responsáveis pela melhoria da autoestima. Na verdade, é um processo bem visual. Se você está acima do peso ou quer mudar o seu shape de alguma forma, os resultados dos exercícios sobre o corpo serão o combustível para a sua autoestima ir lá em cima.


Cuidados para iniciar uma atividade física
É preciso alguns cuidados antes de iniciar atividades por conta própria, alerta Natan Silva, educador físico e diretor científico do Departamento de Educação Física da SOCESP. “A melhor maneira de não colocar a saúde em risco é começar a se exercitar de forma leve. Sempre que possível, realizar um checkup cardiológico antes de iniciar as atividades, principalmente se a pessoa tem mais de 35 anos. Além disso, é importante ter cuidado com o sol. O ideal é que o indivíduo procure se exercitar no início da manhã ou final da tarde”, recomenda.


Ao falar da frequência que os exercícios devem ser realizados, o especialista ressalta que as pessoas que não estão acostumadas a praticar exercícios devem começar devagar, alternando os dias e totalizando, no máximo, três vezes por semana. “Com o passar do tempo, a frequência pode ser aumentada para 4 ou 5 vezes por semana, lembrando que para se obter maiores desempenhos a atividade física deve ter 30 minutos por dia” – afirma.


Dados preocupantes
– De acordo com dados do SUS (DataSus), o infarto agudo do miocárdio é a primeira causa de mortes no País. A Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP) aponta que, em média, uma morte ocorre a cada minuto e meio. Além disso, são cerca de 350 mil óbitos por infarto todos os anos, e metade das vítimas falece em até uma hora a partir da manifestação dos primeiros sintomas.


– As doenças cardiovasculares ainda são a principal causa de morte no mundo (17,3 milhões de pessoas morrem por ano, segundo a Organização Mundial da Saúde – OMS). De janeiro a setembro deste ano, 243 mil óbitos por doenças cardiovasculares aconteceram no Brasil, conforme levantamento do Cardiômetro, indicador do número de falecimentos causados por esse fator.


– Uma pesquisa da OMS estima que em 2024, o Brasil deve subir para a primeira posição no ranking de mortes cardiovasculares.