IMPOSTÔMETRO:

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER --

ANÚNCIO:

ANÚNCIO:

sábado, 12 de outubro de 2013

Veículo Com 4 Ocupantes Capota Na BR-470 Em Pouso Redondo.

Um acidente aconteceu na manhã deste sábado na BR-470 na localidade de Pouso da Caixa em Pouso Redondo.
Segundo informações da Guarnição de Bombeiros Militares de Pouso Redondo, o acidente envolveu 4 vítimas, todas com ferimentos leves, dois adultos e duas crianças, todos com cinto e cadeirinha.
Uma saída de pista seguida de capotamento, sem maiores danos às vítimas.
Agradecimento: 
Soldado Kill

*EDUCADORA AM
FONTE:

Três Pessoas Ficam Feridas Em Acidente Na BR 470, Em Apiúna.

Na manhã deste sábado, por volta das 6h 10min, os bombeiros de Ascurra foram acionados para atender uma colisão fronte lateral entre uma Sprinter de Otacílio Costa 
e um Corsa de Colombo (PR). 
Nos dois veículos estavam um total de sete pessoas. Apenas a coroneira do Corsa e dois ocupantes da Sprinter ficaram feridos. 
Segundo informações dos bombeiros, os ferimentos foram de leves a médios. As vítimas foram conduzidas para o hospital Dr. Waldomiro Colautti de Ibirama pelas viaturas dos bombeiros de Ascurra e Samu de Ibirama. 
O acidente ocorreu no km 97 da BR 470, em Apiúna, próximo a ponte do Ribeirão São Luiz. 
fonte:

Silvio Santos já decidiu quem será seu substituto no comando do SBT.

Renata Abravanel será a sucessora de Silvio no comando do SBT
Com 82 anos de idade, o dono do SBT, Silvio Santos, já fez a sua escolha para quem irá substituí-lo no comando do SBT. Em entrevista, Iris Abravanel, autora denovelas e esposa de Silvio, revelou que o marido escolheu a sua filha caçula para ficar à frente do Grupo Silvio Santos.
“A caçula, a menorzinha, é um Golias. Já está sendo preparada pelo pai, porque gosta. A luz da sala dela é a última que se apaga. Silvio percebeu que seria Renata quando fomos visitá-la na universidade, nos Estados Unidos. Para ganhar um dinheirinho, ela administrava dois andares da moradia estudantil. Levava tudo aquilo na ponta do lápis, com técnica, mão de ferro e não perdeu a amizade dos colegas”, disse Iris, sobre a filha, que já atua no comando do Grupo ao lado de Guilherme Stoliar.
Iris Abravanel ainda revelou que todas as sete filhas de Silvio já estão cientes da escolha do pai.
“Mostrei ao Silvio a necessidade disso, e ele tem visão do futuro. Não gostávamos de tocar nesse assunto. Mas não somos só nós e as filhas. Silvio, com habilidade, foi falando. As meninas choravam, demoraram a aceitar a realidade. Apesar da clareza das leis, seria inconsequência não deixar tudo acertado”, explicou.
Leia mais: 

Nova Honda CB 500 F 2014: fotos, preço e ficha técnica.

Honda lança linha CB 500 para atrair novos consumidores para motos de alta cilindrada.
O mercado brasileiro de motocicletas é grande e imaturo. No país ocidental onde mais se vende motocicletas, a esmagadora maioria dos modelos são de baixa cilindrada. Só para dar uma ideia, no Brasil, o volume comercializado é quatro vezes maior que nos Estados Unidos – o segundo maior mercado do Ocidente. Mas se a conta for apenas com modelos de considerados de alta cilindrada – acima de 450 cc –, para cada unidade emplacada aqui, seis são emplacadas lá. Mais que a simples diferença de poder aquisitivo, há uma cultura de utilização de modelos de baixa cilindrada. A Honda vem trabalhando para quebrar esse paradigma – inclusive para ter para onde crescer.
A nova linha CB 500 chega, de fato, para servir de degrau para os atuais usuários da linha de 300 cc, composta por CB e XRE, entrarem nos segmentos superiores do mercado. A primeira a encarar a tarefa é a “naked” CB 500F, que começa a ser distribuída neste mês, logo depois de ter sido apresentada no 12º Salão das Duas Rodas, realizado na capital paulista na segunda semana de outubro. Até o final de 2013, a linha recebe a versão esportiva CBR 500R. E no segundo trimestre de 2014 chega a crossover CB 500X.
A única que tem preço definido até agora é a CB 500F, que custa R$ 22 mil – ou R$ 23.500 com ABS. Isso a coloca em uma posição intermediária entre as motos de média cilindrada e as de alta no atual line-up da marca. Mas além disso, o modelo tem características que podem mesmo seduzir motociclistas de modelos imediatamente menores. A primeira é o porte avantajado, que passa a impressão de ser de uma cilindrada ainda maior. Ao mesmo tempo, o novo modelo é extremamente leve – tem 20 kg a menos que a antiga CB 500, produzida até 2003. Isso facilita a pilotagem e cria uma sensação “familiar” para quem está acostumado com modelos de médio porte.
A configuração do modelo favorece esta familiaridade. O motor é um bicilíndrico de exatos 471 cc, quatro válvulas por cilindro e apenas 50,4 cv a 8.500 rpm – a CBR 600F Hornet, modelo “naked” da Honda imediatamente acima, tem mais que o dobro: 102 cv. O câmbio tem seis marchas e o conjunto suspensivo já é um clássico: garfo telescópico na frente, monochoque na traseira.
É por essa simplicidade que a Honda acredita que seu novo modelo vai ser muito bem-aceito. E cria expectativas bastante otimistas. A marca espera que a gama CB 500 alcance nada menos que 20 mil unidades no próximo, para chegar a 30 mil em 2016. Até lá, a Honda calcula que o segmento de alta cilindrada, que hoje é de 45 mil unidades/ano, bata as 90 mil unidades/ano. E a marca passaria da atual participação de 30% para nada menos que 50% do segmento. A Honda no Brasil dificilmente se contenta com números menos dilatados.
Primeiras impressões

Vida fácil
Manaus/AM – Numa velha tradição da Honda, os modelos de quatro cilindros recebiam sempre a letra F, de “four”. Na nova CB 500F, a justificativa do F é outra. Ela vem da palavra “fun”, divertido em inglês, e designa o direcionamento do modelo para o lazer. E é muito bem-aplicado no caso do novo modelo da marca japonesa. A nova CB é tão fácil e leve para pilotar que passa a impressão que se trata de um modelo menor.
Basta torcer o punho, no entanto, para constatar logo o verdadeiro tamanho da moto. Os 50,4 cv e o torque de 4,55 kgfm aparecem em giros relativamente baixos – 8.500 e 7 mil, respectivamente. Por isso a CB 500F está sempre disposta e atenta ao acelerador. A boa faixa de torque, inclusive, torna desnecessário o uso constante do câmbio – que tem suas seis velocidades bem distribuídas e, descaradamente, privilegia o comportamento mais suave e econômico.
A ciclística é a tradicional da Honda. A moto é obediente nos trechos sinuosos, o piloto coloca as rodas exatamente onde quer e não apresenta desequilíbrios em quaisquer situações. A extrema docilidade da CB 500F pode até não agradar o motociclista que procura uma relação mais apimentada, mas vai facilitar a vida de quem vem de modelos menores. Era exatamente isso que a Honda pretendia.
Ficha técnica

Honda CB 500F
Motor: A gasolina, quatro tempos, dois cilindros, quatro válvulas por cilindro, 471 cm³, duplo comando no cabeçote e arrefecimento líquido. Injeção eletrônica.
Câmbio: Manual de seis marchas com transmissão por corrente.
Potência máxima: 50,4 cv a 8.500 rpm.
Torque máximo: 4,55 kgfm a 7 mil rpm
Diâmetro e curso: 67,0 mm x 66,8 mm.
Taxa de compressão: 10,7:1.
Suspensão: Dianteira com garfo invertido telescópico com 120 mm de curso e traseira com braço oscilante Pró Link e 119 mm de curso.
Pneus: 120/70 R17 na frente e 190/50 R17 atrás.
Freios: Disco de 320 mm na frente e disco de 240 mm atrás. Não oferece ABS.
Dimensões: 2,07 metros de comprimento total, 0,78 m de largura, 1,41 m de distância entre-eixos e 0,78 m de altura do assento.
Peso seco: 180 kg.
Tanque do combustível: 15,7 litros.
Produção: Manaus, Brasil.
Lançamento: 2013.
Preço: R$ 22 mil e R$ 23.500 com freios ABS.
Texto e fotos:
Eduardo Rocha / Carta Z Notícias / Auto Press /
FONTE - Via: MotorDream

Citroën C4 Lounge 2014 tem seguro com taxa fixa.

Preços valem para todo o País e partem de R$ 1.714,74.
A Citroën firmou parceria com a Generali Brasil e passa a oferecer um seguro fixo para o recém-lançado C4 Lounge. De acordo com comunicado emitido pela marca, a cotação fixa para o sedã será de 2,9% do seu valor e vale para todas as regiões do País.
Com isso, o preço inicial para o serviço fica em R$ 1.714,74, válido para a versão Origine 2.0 Mecânica. No caso da Tendance 2.0 Auto6, o valor sobe para R$ 1.938,97, chegando a R$ 2.280,91 para a Exclusive Turbo THP Auto6.
Quanto aos benefícios oferecidos pelo seguro, estão inclusos: atendimento personalizado, assistência 24 horas, reboque sem limite de quilometragem no Brasil, carro reserva, reparos disponíveis na rede de concessionárias da Citroën, entre outros.

Texto: Quatro Rodas / Fotos: Divulgação

Chevrolet S10 LTZ 2014: fotos, preço e ficha técnica.

A S10 versão LTZ, topo de linha custa R$ 135.990.
Além do MyLink, a linha 2014 da S10 ganhou também mais potência e torque no motor. O motor 2.8 a diesel foi de 180 para 200 cv, enquanto o torque subiu de 47,9 kgfm para 51,0 kgfm.
Chevrolet S10 LTZ 2.8 turbodiesel – Ficha técnica

Carroceria / motorização: Picape, 5 ou 6 ocupantes (dependendo da versão), 4 portas, motorização dianteira, tração traseira e/ou integral
Construção: Carroceria de cabine dupla sobre chassi, aço galvanizado nos painéis exteriores
Fabricação: São José dos Campos, São Paulo, Brasil

Motor

Modelo: Chevrolet 2.8 Turbodiesel CTDI
Disposição: Longitudinal
Número de cilindros: 4 em linha
Cilindrada (cm3): 2.776
Diâmetro e Curso (mm): 94 x 100
Válvulas: DOHC, quatro válvulas por cilindro
Injeção combustível: Turboalimentado, intercooler com injeção direta eletrônica
Taxa de compressão: 16,5:1
Potência máxima líquida (ABNT NBR 5484 – ISO 1585): 200 cv a 3.600 rpm
Torque máximo líquido (ABNT NBR 5484 – ISO 1585): 51 (AT)/44,9 (MT) kgfm a 2.000 rpm
Combustível recomendado: Diesel
Rotação Max. do motor (rpm): 4400
Bateria: 12V, 70 Ah
Alternador: 140 A
Transmissão

Modelo manual: FSO 2505 – Manual de 6 velocidades à frente sincronizadas ou 6L50 – Automática de 6 velocidades
Diferencial:
3,73:1 (4×2)
3,73:1 (4×4); 2,62:1 (4×4 reduzida)
3,42:1 (4×2 AT)
3,42:1 (4×4 AT); 2,62:1 (4×4 reduzida AT)

Chassis/Suspensão

Dianteira: Independente, braços articulados, molas helicoidais e amortecedores telescópicos hidráulicos pressurizados a gás de alto desempenho.
Traseira: Feixe de molas semi-elípticas de 2 estágios, amortecedores telescópicos hidráulicos pressurizados a gás de alta performance
Direção: Pinhão e cremalheira, com assistência hidráulica.
Direção redução: 20,8:1
Direção número de voltas (batente a batente): 3,90
Diâmetro de giro (m): 12,70

Freios

Tipo: Discos ventilados dianteiros, tambores traseiros
Diâmetro x espessura (mm): Discos: 300 x 27 ; Tambor: 147,5 x 50

Rodas/Pneus

Roda tamanho e tipo: 16 x 6,5 (LS e LT); 7,0 x 17 (LTZ)
Pneus: 245/70 R16 (LS e LT); 255/65 R17 (LTZ)

Dimensões/Pesos

Distância entre eixos (mm): 3.096
Comprimento total (mm): 5.347
Largura carroceria (mm): 1.882
Largura total (mm): 2.132
Altura (mm): 1.827
Bitola (mm): Dianteira: 1.570; traseira: 1.570
Altura mínima do solo (mm): 228
Ângulo de ataque: 30,7º
Ângulo de saída: 16,1º
Peso em ordem de marcha (kg): 1.892 (LS MT); 1.960 (LTZ AT); 1.994 (LS 4×4 MT); 2.061 (LTZ 4×4 AT)
Distribuição de peso (% dianteira/traseira): 53/ 47
Capacidade

Caçamba (litros): 1.061
Capacidade de carga (kg): 1.208 (4×2 LS MT); 1.140 (4×2 LTZ AT) 1.106 (4×4 LS MT); 1.039 (4×4 LTZ AT)
Tanque de combustível (litros): 76
Óleo do motor (litros): 5,7 com o filtro
Sistema de refrigeração (litros): 9,0

Desempenho

Velocidade máxima (km/h): 180
Aceleração 0 a 100 km/h (s): 11s4 (MT); 10s3 (AT)

Fonte: Chevrolet / Fotos: Divulgação