IMPOSTÔMETRO:

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER --

ANÚNCIO:

ANÚNCIO:

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Receitas para aproveitar melhor os benefícios do limão:

Receitas para aproveitar melhor os benefícios do limão:
 
Suco desintoxicante, contra ansiedade, ativa a memória e melhora o sono:

Bater o suco fresco de 2 limões com 5 folhas de alface (qualquer tipo) e suco de 1 laranja
(qualquer uma).

Suco para prevenção do envelhecimento precoce e que favorece o intestino:

Bater o suco fresco de 2 limões com 1 maça fuji inteira e 1 colher de semente de linhaça
triturada.

Suco para melhorar a digestão e ajudar a emagrecer:

Bater o suco fresco de 2 limões com 2 fatias grossas de abacaxi e 1 folha de couve crua.
 
Suco para ativar o sistema imunológico:
Bater o suco fresco de 1 limão c/ casca, 1 colheres de chá de gengibre ralado, 3 acerolas e 1
laranja lima.

Suco para acelerar o metabolismo:
Bater o suco fresco de 1 limão com 1 colher de chá de canela em pó e ½ colher de sopa de
mel de abelha
 
http://alimentacaovivaxsaude.blogspot.com.br

Benefícios do Limão...

Benefícios do Limão
  “Essa fruta, tão comum no Brasil, não pode faltar no nosso cardápio diário.”
Isso se deve pelo fato de ser um excelente aliado da saúde, ajudando da prevenção e tratamento de inúmeras doenças e melhorando a qualidade física.
Quais benefícios podem ser associados ao consumo diário do limão?
• Existe um princípio ativo chamado d-limoneno (presente na casca), que ajuda a
combater a ansiedade, depressão, excesso de colesterol LDL (ruim), auxilia no controle
de ácido úrico e até mesmo previne o câncer.
• A fruta é rica em vitamina C, tiamina, riboflavina, fósforo, silício, cálcio e ferro. Todos
esses nutrientes desempenham papéis fundamentais para o organismo se manter
saudável.
• Outro benefício da fruta é para o sistema imunológico, que fica mais ativo contra
agentes nocivos. Sendo assim, esse alimento é poderoso para prevenção de gripes e
outras doenças virais.
• Para quem teme o ganho de gordura, o limão ajuda no emagrecimento (perda de
gordura) sem estimular o catabolismo (perda de massa muscular).
• Para aqueles praticantes de atividade física e atletas, estudos indicam que 1 copo de
limão com água pela manhã melhora a performance e a qualidade corporal.
• Nutrientes presentes no limão ajudam na prevenção de diabetes e hipertensão arterial,
além de melhorar o funcionamento do fígado (órgão essencial para o metabolismo).
• Essa fruta possui flavonóides, que são antioxidantes que previnem a ação maléfica dos
radicais livres, evitando assim o envelhecimento precoce.
• Para quem tem azia e gastrite, o limão possui substâncias que facilitam a digestão e
ajudam no controle dessas doenças. Apesar de no estado natural ter como princípio
ativo o poderoso ácido cítrico, este, em contato com o meio celular, no interior do nosso
organismo, é transformado durante a digestão e comporta-se como um alcalinizante,
ou seja, um neutralizante da acidez interna.
• Alguns estudos ainda associam o consumo de limão com redução de dores de cabeça,
acne, sinusite e zumbido no ouvido.
• Além desses benefícios, o limão ajuda a conservar alguns alimentos, por exemplo, se
for fazer um suco de maçã, para evitar o escurecimento do mesmo, esprema um pouco
dessa fruta e garanta melhor qualidade na conservação do suco.
Quanto consumir de limão para ter esses benefícios?
Tomado diariamente pela manhã, em jejum (10 a 20 minutos antes do café da manhã),
descongestiona e desintoxica o organismo, promovendo todos os seus benefícios.
Caso a pessoa não consiga fazer dessa forma, poderá usar na salada, como tempero, e ainda em preparações de outras refeições. Mas lembre-se, o ideal é 1 limão por dia.
Qual o melhor tipo de limão?
Você irá encontrar todos os benefícios no limão tahiti, limão-cravo, limão galego ou limão
siciliano.
Outras considerações
• Para que tem hipersensibilidade nos dentes, oriento usar canudo para evitar o contato
excessivo do limão com o esmalte.
• O ideal é beber o suco assim que preparado, para garantir seus benefícios por
completo.
 
http://alimentacaovivaxsaude.blogspot.com.br/
 

Maçã Verde...

Maçã Verde


Por Marilia Araujo 
A maçã verde  é considerada uma das maravilhas alimentares, graças ao seu sabor e sua tabela nutricional rica em aminoácidos, cálcio, ferro, pectinas, quercetina, sorbitol, magnésio, nitrogênio, ácidos, açúcares, catequizas, fósforo, potássio, flavonóides e muitos outros componentes.  
 
Graças à esta rica composição, a maçã verde é dotada de propriedades medicinais, tais como: anti-inflamatória (para o aparelho digestório), anti-ácida, dependendo da dose pode ser antidiarréica ou servir como um suave laxante. Pode servir também como atenuante da pressão sanguínea, ou ainda antitérmico. Os nutricionistas defendem uma dieta com maçã verde para os tabagistas que precisam ou querem largar o tabaco e para pacientes com índices elevados de colesterol (duas maçãs, no mínimo por dia), já que a pectina ajuda a reduzir esses índices. E alguns estudos mais recentes e promissores demonstram um caminho contra o câncer, tudo com base na composição desta saborosa maçã. Todas essas propriedades apenas com base no uso interno.
Externamente, a maçã verde é indicada para aliviar câimbras e dores musculares. O sumo extraído deste fruto e submetido a processo químico denomina-se vinagre de sidra e é indicado para acabar com os fungos dos pés, para o ouvido, para combater o odor das axilas.
Portanto, o consumo moderado de maçã verde é bom para o organismo, com tantos benefícios em um só fruto fica difícil resistir.

Bibliografia:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Maçã-verde
http://www.sitemedico.com.br/sm/materias/index.php?mat=1013

Leite de vaca e outros laticínios

Leite de vaca e outros laticínios  
Dave Rietz, webmaster de http://www.notmilk.com

Sim... o leite é o "alimento perfeito" da mãe natureza... para um bezerro, antes que seja desmamado!
Tudo o que você sabe sobre leite de vaca e laticínios é, provavelmente, parte do MITO da indústria leiteira. O leite de vaca é um fluido insalubre de animais doentes que contém uma gama ampla de substâncias perigosas e causadoras de doenças e que tem efeito cumulativo prejudicial sobre todos os que o consomem. 
Conteúdo básico:
TODO leite de vaca contém 59 hormônios ativos, vários alérgenos, gordura e colesterol. A maior parte do leite de vaca contém quantidades mensuráveis de herbicidas, pesticidas, dioxinas (até 2.200 vezes o nível aceitável), até 52 antibióticos poderosos, sangue, pus, fezes, bactérias e vírus. (O leite da vaca pode conter resíduos de tudo o que a vaca come... inclusive coisas como restos radiativos de testes nucleares - não esqueçam o problema do estrôncio-90 na década de 50).
As principais causas de morte ( http://webapp.cdc.gov/sasweb/ncipc/leadcaus.html - 1998) são, nos Estados Unidos:
1. 724.859 doenças coronarianas (pensem em gordura e colesterol: carne, laticínios)
2. 541.532 neoplasias malignas (câncer: pensem em toxinas, leite, laticínios)
2a. 250.000 sistema médico (drogas, remédios etc. Pensem em ignorância/incompetência)
3. 158.448 problemas cérebro-vasculares (pensem em carne, leite, laticínios)
4. 112.584 bronquite, enfizema, asma (pensem em toxinas, leite, laticínios)
5. 97.835 injeções não intencionais e efeitos colaterais
6. 91.871 pneumonia e gripe (pensem em sistema imunológico enfraquecido e
muco)
7. 64.751 diabete (pensem em leite/laticínios)
7a. 40.000+ atropelamentos (homens, mulheres e crianças
8. 30.575 suicídios (pensem em distúrbios comportamentais)
9. 26.182 nefrite (doença de Bright: inflamação dos rins)
10. 25.192 doenças do fígado (pensem em álcool e outras toxinas)
(2a e 7a adicionados para completar os dados)
COMBUSTÍVEL DO CÂNCER
Daqueles 59 hormônios do leite, um é um poderoso hormônio do CRESCIMENTO chamado IGF-1 (Insulin-like Growth Factor One - Fator de Crescimento similar à Insulina). Por uma curiosidade da natureza ele é idêntico entre vacas e seres humanos. Considere que este hormônio serve de "combustível" para qualquer câncer... (o mundo médico diz que IGF-1 é um fator-chave no crescimento rápido e na proliferação dos cânceres de seio, próstata e cólon, e suspeitamos que, provavelmente, deve promover TODOS os cânceres).
IGF-1 é parte normal de TODO leite... espera-se que o recém-nascido cresça com rapidez! Por que os 50% de consumidores americanos que são obesos pensam que precisam crescer MAIS? Os consumidores não pensam nada a esse respeito, porque não têm a mínima idéia do problema... assim como seus médicos. (Ver em http://www.notmilk.com/igf1time.txt uma cronologia.)
QUANTIDADE
Cada mordida de queijo duro tem DEZ VEZES mais do que havia naquele gole de leite, porque são necessários 10 quilos de leite para fazer um quilo de queijo. Cada mordida no sorvete tem 12 vezes... e cada passada de manteiga, 21 vezes o que estiver contido nas moléculas de gordura de um gole de leite.
MONSANTO E rbGH (Posilac)
A indústria química Monsanto, fabricante de belos venenos como DDT, agente laranja, Roundup e outros, gastou cerca de meio bilhão de dólares para inventar uma injeção que fizesse as vacas produzir MAIS leite (para um mercado já estupidamente subsidiado pelo contribuinte americano).
Infelizmente, criaram CINCO erros em seu Posilac (rbGH) injetável que afetaram diretamente todos os animais usados nos testes, mas o importante relatório que os descrevia (Richard, Odaglia & Deslex, 1989) foi oculto de todos pela lei de Segredo Comercial de Clinton. Os canadenses puderam ler este relatório (antes que fosse roubado), o bastante para proibir o rbGH em seu país.
O Posilac da Monsanto cria mais IGF-1 no leite: até 80% mais.
A FDA (Departamento de Alimentos e Remédios dos Estados Unidos) insiste que o IGF-1 é destruído no estômago. Se isso for verdade, a FDA acaba de provar que amamentar não pode dar certo. O bom senso diz que sua "descoberta" é ridícula, porque este fator de crescimento FAZ o bezerro crescer (com rapidez, como pretendia a mãe natureza). Visite o Comitê de Educação sobre Laticínios, em http://www.notmilk.com/deb/100399.html para ler um estudo sobre LATICÍNIOS que confirma que a FDA há anos mente sobre isso.
AUMENTO DO IGF-1
Este estudo foi realizado com dois grupos. Um consumia 360g de leite por dia, outro a porção recomendada pela USDA (recomendação nutricional diária dos Estados Unidos) de 720g (três xícaras). Neste estudo observou-se que os participantes que consumiam 360g de leite pro dia TIVERAM UM AUMENTO DE 10% NO NÍVEL DE IGF-1 NO SORO SANGÜÍNEO! Agora, considere que POR DIA, de TODAS as fontes, o consumidor típico de leite e laticínios ingere cerca de 39% de sua dieta em leite... e que os 10% de aumento tornam-se "a ponta do iceberg". Não temos NENHUMA idéia sobre a diferença entre nenhum laticínio e muito laticínio, mas levando em conta as taxas de câncer ela deve ser significativa.
GORDURA
Leite integral: 49% das calorias vêm da gordura. Leite a "2%": 35% das calorias vêm da gordura. Queijo cheddar: 74% das calorias vêm da gordura. Manteiga: 100% das calorias vêm da gordura.
Muita gente suspeita que a manteiga é só gordura. Muita gente não tem idéia de quanta gordura existe no leite e no resto dos laticínios. Talvez os 54% de americanos obesos precisem entender que leite, sorvete, queijo, iogurte e todos os OUTROS produtos que usam derivados do leite (caseína, soro, lactose, colostro) são provavelmente uma causa importante de seus problemas de peso e saúde.
CÁLCIO
Cálcio? Onde é que as vacas arranjam cálcio para seus ossos enormes? Sim, das plantas! O cálcio que consomem das plantas têm boa quantidade de magnésio, necessário para que o corpo absorva e USE o cálcio. 
O cálcio do leite de vaca é basicamente inútil, porque o leite tem conteúdo insuficiente de magnésio (as nações com mais alto nível de consumo de leite e laticínios também têm o maior nível de osteoporose. Prova? Que tal um estudo controlado de 78.000 enfermeiras num período de 12 anos?) 
Leia mais a respeito (em inglês) em :
http://www.notmilk.com/deb/030799.html Artigo sobre o estudo das 78,000
enfermeiras
http://www.notmilk.com/deb/092098.html CÁLCIO E DOENÇAS DOS OSSOS
http://www.notmilk.com/badbones.html QUEM FICA COM OSSOS DOENTES?
http://www.notmilk.com/bonehead.txt (mais recente) OSSOS QUE ALEIJAM
http://www.notmilk.com/calcium/index.html Informações reunidas
O leite de vaca tem três vezes mais cálcio que o leite humano. Não importa; nenhum dos dois é muito útil, porque para ser absorvido e utilizado PRECISA haver quantidade igual de MAGNÉSIO (como existe nas folhas verdes que as vacas comem para conseguir todo o cálcio de que precisam para seus ossos enormes). O leite só tem magnésio suficiente para que se aborvam cerca de 11% do cálcio (33mg por xícara).
Segundo a USDA, 240g (uma xícara) de leite contém:
Cálcio, Ca - 291,336 mg
Magnésio, Mg - 32,794 mg
A USDA recomenda 1200 mg de cálcio por dia. As três xícaras de leite diárias recomendadas pela USDA só contêm 900mg de cálcio. Alguns argumentam que só se precisa de 1/3 do magnésio. A mãe natureza parece indicar que a proporção deveria ser 1:1. Se a proporção para a absorção adequada fosse de 1/3 de magnésio para 1 de cálcio, então apenas 300mg daqueles 900mg de cálcio é utilizável. Se, na verdade, a proporção for de 1:1... só 98,38mg do cálcio é aproveitável.
PROTEÍNA
O leite pode ser considerado "carne líquida" por causa de seu alto conteúdo de proteína que, em conjunto com outras proteínas, pode na verdade TIRAR cálcio do corpo. Países que consomem dietas ricas em proteínas (carne, leite e laticínios) têm as taxas mais altas de osteoporose.
O MITO DA PROTEÍNA COMPLETA
Leite: 87% do leite é água. Uma água MUITO cara.
Dividido em seus grupos básicos, LEITE INTEGRAL é:
água: 87%
gordura: 3,25%
caseína: 4%
outras proteínas: 1%
outras substâncias: 4,75%
80% da proteína do leite é caseína. A caseína é um aglutinante poderoso, um
polímero usado para fazer plásticos, e uma cola ótima para mobílias
resistentes ou para colar rótulos de cerveja. É usada como aglutinante em
milhares de alimentos industrializados, como "caseinato de alguma coisa".
Caseína é um alérgeno poderoso, uma histamina que cria grande quantidade de
muco. O único remédio encontrado no corpo da atleta olímpica Flo-Jo (que
faleceu há alguns anos) era Benadryl, um anti-histamínico poderoso que ela
usou para combater sua última refeição: pizza. Ver a história toda em 
http://www.notmilk.com/deb/092198.html ,
http://www.notmilk.com/deb/111598.html e
http://www.notmilk.com/deb/112398.html .
BACTÉRIAS
Permite-se que haja fezes no leite de vaca. Esta é uma grande fonte de bactérias. Normalmente o leite é pasteurizado mais de uma vez antes de chagar à sua mesa - a cada vez por apenas 15 segundos a 72°C.
Para esterilizar a água, exige-se que ela seja fervida (100°C) por vários minutos. Que disparidade!
Não esqueça que à temperatura ambiente o número de bactérias no leite DOBRA a cada 20 minutos. Não admira que o leite azede tão depressa.
PUS
UM centímetro cúbico de leite de vaca comercial pode ter até 750.000 células somáticas (mais conhecidas como pus) e 20.000 bactérias vivas, antes de ser retirado do mercado.
Isso chega a espantosos 20 milhões de bactérias bem vivinhas e a 750 milhões de células de pus por litro.
1 xícara = 236,5882 c3 ~ 177.441.150 células de pus e 4.731.600 bactérias 720g (3 xícaras) = 532.323.450 células de pus e 14.220.000 bactérias (ingestão diária "recomendada")
A Comunidade Européia e o Canadá só permitem 400.000.000 células de pus por litro.
Em geral esses níveis são mais baixos, mas PODEM chegar a este nível e ainda assim estar na SUA mesa.
COLESTEROL
O conteúdo de colesterol daquelas três xícaras de leite é igual ao de 53 fatias de bacon. Conhece algum médico que aprove essa quantidade de bacon por dia?
KOSHER
Leite e laticínios são "kosher" (aprovados pela lei judaica)? Pense nisso:
"D-3 é sempre derivada de um animal. A reação à luz do sol que converte 7-dehidroicolesterol em vitamina D-3 é uma reação química "pura" que acontece em determinadas células da sua pele."
"A pró-vitamina conhecida como 7-dehidrocolesterol é extraída e isolada da pele de mamíferos, e purificada." (Marian Herbert, da Workshop de Vitamina D da Universidade da Califórnia).
A vitamina D-3 vem de quatro fontes diferentes: pele de porco, pele de ovelha, fígado de peixe cru e cérebro de porcos. Na maior parte dos casos, a vitamina D-3 é extraída da pele de porcos e vendida a fábricas de laticínios.
Resposta curta a "leite é kosher?": Provavelmente não.
MAIS ALGUNS FATOS
Gordura e colesterol. Montes deles. Na "pirâmide alimentar" pró-laticínios da USDA, em conjunto o leite, os laticínios e a carne não deveriam representar mais do que 8% da dieta. Estatisticamente, pelo volume de vendas num país com 281 milhões de americanos, acontece que quase 40% da dieta consistem de LEITE E LATICÍNIOS... sem contar a carne.
O leite de cada um dos mais de 4.700 mamíferos da face da terra é formulado especificamente para a sua espécie. Há lactoferrinas e imunoglobulinas especiais (imunizantes específicos da vaca) que servem de alérgenos para seres humanos.
LEUCEMIA
60% das vacas leiteiras dos Estados Unidos têm o vírus da leucemia.
DIABETES
A proteína lactalbumina já foi identificada como fator-chave da diabetes (e razão fundamental para NÃO dar leite de vaca a lactentes.)
MAL DE CROHN
A paratuberculose por micobactérias provoca uma doença bovina conhecida como "Mal de Johne". Vacas diagnosticadas com esta doença têm diarréia e intensa eliminação fecal de bactérias. Estas bactérias se multiplicam no leite, e não são destruídas pela pasteurização. Às vezes. as bactérias vindas do leite passam a crescer no hospedeiro humano, e daí resulta a síndrome do intestino sensível ou doença de Crohn.
DOENÇA DA VACA LOUCA
Também pode haver príons no leite e na carne. Príons são uma substância cristalina que age como um vírus, com período de incubação de 5 a 30 anos. O resultado final é a DOENÇA DA VACA LOUCA.
HOMOGENEIZAÇÃO
Moléculas grandes de gordura não podem passar para a corrente sangüínea através da parede instestinal. O creme não cresce mais quando é batido porque a homogeneização quebra essas moléculas grandes em pedaços menores que PASSAM para a corrente sangüínea! Isso se transforma numa auto-estrada para quaisquer toxinas carreadas pela gordura (chumbo, dioxinas etc.) chegarem a seus órgãos que, antes, eram os mais bem protegidos.
EFEITOS CUMULATIVOS
Como isso afeta seres humanos que consomem leite de vaca e laticínios? Obesidade (mais de 50% dos americanos, e a proporção não pára de crescer), doenças cardíacas, câncer, alergias, problemas digestivos, diabetes, asma, resistência a antibióticos, problemas comportamentais e a ingestão constante de dioxinas, herbicidas, inseticidas (e tudo o mais que a vaca come e que não é bom para as pragas), fazendo com que tudo isso acabe armazenado na gordura HUMANA... Nada disso pode ser saudável.
Os que resistem a acreditar na verdade deveriam entender que A MAIORIA da população mundial NÃO tolera a lactose do leite de vaca. Até 95% da população negra, cerca de 53% dos hispânicos etc. Chega disso de o leite de vaca ser "o alimento perfeito da natureza" para seres humanos! A mãe natureza sabe bem o que faz.
Questão de bom senso: Onde estava esta campanha maciça de "o leite é o máximo" antes da refrigeração, da pasteurização e do transporte em massa? Quando as vacas só davam de meio a dois litros de leite por dia, ele era rapidamente transformado em MANTEIGA e queijo! Agora que as mesmas vacas foram "bombadas" com injeções de Posilac para produzir até 26kg ou mais de leite por dia... durante o ano quase todo... de repente ele se torna um "alimento básico" cotidiano. COMO É QUE É?
RESPOSTAS A ALGUMAS PERGUNTAS:
P: O que é SORO?
O soro é o que sobra quando se retira a GORDURA e a CASEÍNA do leite. Ao fazer queijo, a parte talhada se transforma no queijo.  Os principais componentes do soro são a albumina sérica bovina e a lactalbumina. Há outros hormônios contidos no soro.
P: O que acontece com os 59 hormônios, vários alérgenos, herbicidas, pesticidas, dioxinas, até 52 antibióticos, quando se fabrica queijo? R: Tudo se concentra.
P: E quando se faz manteiga? 
R: Os alérgenos se perdem; mas dioxinas, pesticidas e antibióticos permanecem na gordura.
P: E no sistema digestivo?
R: Os hormônios esteróides sobrevivem, assim como dioxinas e antibióticos. No leite homogeneizado, os hormônios proteicos sobrevivem. Dependendo do pH gástrico, alguns hormônios proteicos do queijo sobrevivem, mas não todos. Onze hormônios esteróides sobrevivem
P: E aí, o que acontece?
R: Às vezes, tudo se decompõe, mas não anes que os mensageiros químicos (hormônios) "entreguem sua mensagem".
Cada um desses hormônios e proteínas funciona de maneira diferente e tem taxas diferentes de degradação. No fim das contas, todos sobrevivem até certo ponto, e os efeitos são cumulativos.
As respostas são uma cortesia do NotMilkMan ( notmilkman@notmilk.com)
LEITE: Que surpresa!
Citação:
"Não é natural para seres humanos beber leite de vaca. O leite humano é para seres humanos. O leite de vaca é para bezerros. Você precisa tanto de leite de vaca quanto precisa de leite de rata, leite de égua ou leite de elefante. O leite de vaca é um fluido com alto teor de gordura projetado para transformar um bezerrinho recém-nascido de 35 quilos numa vaca de 200. É para isso que serve o leite de vaca!"
Dr. Michael Klaper, médico
Pela tradução, 
Beatriz Medina
Miguel Pereira, RJ, Brasil

CURIOSIDADES SOBRE ALGUMAS FRUTAS

CURIOSIDADES SOBRE ALGUMAS FRUTAS



ABACATE:

O abacate, fruto do abacateiro, é outro dos alimentos que a América ofereceu ao mundo. A planta é originária da Guatemals, Antilhas e México, o que pode ser notado no próprio nome da fruta, pois abacate vem da palabra awakati, o nome da planta na língua natural dos mexicanos. Há mais de 500 variedades de abacateiros, o que explica os muitos tipos de abacate, diferentes na forma, tamanho e cor. Entre os tipos mais conhecidos encontram-se o manteiga (em forma de pêra, com polpa macia e sem fibras), o guatemala (com forma de ovo e casca rugosa, maior que o manteiga) e o percoço (parecido com o manteiga, mas um pouco mais alongado). No Brasil, o abacate é consumido ao natural com açúcar, como sobremesa. No entanto, em outros países é mais apreciado em saladas, bem temperado com vinagre, pimenta e maionese. Em pratos doces, o abacate combina muito bem com limão, leite, creme de leite e leite condensado, na preparação de sorvetes, cremes, musses e bebidas. Em pratos salgados, vai bem com camarão e lagosta, em saladas ou acompanhando pratos fortes.
Possui alta taxa de gordura, sendo muito rico em calorias, o que o torna contra indicado para regimes de emagrecimento ou de manutenção de peso. No entanto, como sua gordura é fácil de assimilar pelo organismo, pode constar da dieta de quem tem problemas digestivos. Além disso, contém vitaminas A e do complexo B e alguns sais minerais como ferro, cálcio e fósforo.
Os melhores abacates são os mais pesados e firmes. Para saber se estão no ponto, é só fazer uma ligeira pressão com os dedos: os de casca fina cedem logo, os de casca mais grossa oferecem um pouco mais de resistência. Os melhores abacates têm poupa macia e gordurosa, de sabor característico e delicado (antes de ficar maduro, ele tem poupa dura e esbranquiçada). Algumas vezes, têm manchas de cor marrom clara na casaca, mas esse é um defeito apenas superficial que não afeta a qualidade do fruto.
Os abacates duros ou bem firmes, embora possam ter todas as características de boa qualidade, não estão prontos para o consumo imediato, devendo ser amadurecidos.
O abacate deve ser guardado em lugar fresco e arejado. Quando ainda verde, não convém colocá-lo na geladeira, pois o frio interrompe o processo de maturação. Depois de descascado, deve ser imediatamente consumido, porque, em contato com o ar, a poupa escurece. Para evitar o escurecimento imediato, passe um pouco de suco de limão na superfície do fruto. Como o abacate maduro é muito sensível, amassando-se com muita facilidade, evite que fiquem empilhados na fruteira ou no recipiente no qual são guardados. Para saber quanto comprar, calcule que 3 abacates são suficientes para fazer um creme para 6 pessoas.


ABACAXI:

O abacaxi é a fruta tropical mais famosa e tradicional, nativa das regiões costeiras da América do Sul. A planta cujo nome científico é Ananas comosus, pertence à família das bromélias e o fruto é, na verdade, uma frutescência, cada gominho e um fruto independente que se juntou com os demais durante o processo de crescimento. O abacaxi é famoso em todo o mundo pelo seu perfume delicioso, pelo seu sabor acre doce e por seu grande valor nutritivo. Na cozinha o abacaxi tem vários usos e faz parte dos mais variados pratos. Fica muito bom em pratos salgados, como carne de porco, peixes, crustáceos e aves de carne gordurosa. Em saladas e bebidas é muito usado junto a outras frutas.
É uma fruta com alto teor de vitamina C. Além disso contém celulose, uma substância indispensável para o bom funcionamento intestinal, e bromelina, uma outra substância que facilita a digestão das carnes. Também é bastante rico em sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro.
Para escolher um abacaxi, não se pode considerar apenas a sua cor, que varia muito dependendo da qualidade. O melhor e mais simples é verificar as folhas da coroa, o abacaxi está no ponto quando elas se soltam com facilidade. Também é possível perceber o ponto pressionando com os dedos. Se ele estiver muito duro, ainda está verde. Para que o abacaxi verde amadureça, deixe-o à temperatura ambiente, enrolado em jornal e longe da luz direta do sol. Quando ele está maduro demais, sua casca tem manchas escuras e partes amolecidas próximas à sua base. Também é possível encontrar o abacaxi enlatado, em calda, em sucos concentrados, geléia, doce em pasta e cristalizado.
Como a deterioração do abacaxi começa em torno da coroa, ela só deve ser arrancada no momento em que se for usar a fruta. Depois de cortado, ele deve ser guardado em recipiente fechado e mantido na geladeira. Quando ainda com casca, guarde na gaveta da geladeira. No caso do enlatado, depois de aberta a lata, coloque em outro recipiente junto com a calda e mantenha também na geladeira.


AMEIXA:
Há diversas variedades de ameixa. As mais conhecidas são: a vermelha, a amarela e a roxa. Elas têm tamanhos diferentes, podendo ser pequenas como uma cereja ou grandes como um ovo de galinha. A ameixa é uma fruta com caroço, de sabor doce, ligeiramente mais ácida na parte da polpa próxima ao caroço. Pode ser consumida fresca, seca ou na preparação de geléias e outros tipos de doce. A ameixa seca tem várias aplicações: em caldas, sorvetes, pudins, musses, bolos, tortas, refrescos e licores. Além disso, combina muito bem com pratos salgados.
A ameixa tem alto valor nutritivo. É rica em açúcar, sais minerais (cálcio, fósforo e ferro) e algumas vitaminas. É um ótimo alimento, pois funciona como laxante natural.
Embora a ameixa seja uma fruta macia, ela só é boa para o consumo enquanto está firme, com aparência fresca e cor viva, sem partes moles, manchadas ou machucadas.
Para que a ameixa se conserve me bom estado por vários dias, guarde-a em saco plástico na gaveta da geladeira sem lavar. Lave apenas na hora em que for consumi-la.


AMORA:

Tanto a amoreira quanto algumas espécies de plantas medicinais, chamadas "silvas", produzem amoras. Há amoras brancas e pretas, mas só as segundas são comestíveis. As brancas servem apenas para alimentar animais. É uma fruta de sabor ligeiramente ácido e adstringente, usada para fazer doces, compotas e geléias.
A amora é muito rica em vitaminas A, B e C e contém ácido cítrico. Tem propriedades depurativas, digestivas e refrescantes.
O comércio da amora natural é praticamente inexistente. Em supermercados pode ser comprada sob forma de geléias, compotas ou xaropes. De qualquer maneira, ao natural é uma fruta extremamente perecível, devendo ser consumida ou usada logo após ter sido colhida.
Tire o cabinho e separe as que estiverem estragadas. Lave bem sob água corrente e escorra.
A amora é uma fruta excelente para ser consumida ao natural, coberta com uma camada de gelo picado e uma colherada de creme chantilly ou com uma bola de sorvete de creme ou baunilha.


BANANA

Símbolo dos países tropicais e muito conhecida no mundo todo, a banana é a fruta mais popular do Brasil. Embora não seja nativa do continente americano, adaptou-se muito bem ao nosso solo e clima e transformou-se num dos principais produtos de exportação do país. A bananeira é uma planta de caule subterrâneo, que se desenvolve em sentido horizontal, e do qual surgem as folhas. Estas crescem para fora da terra, formando o falso tronco da bananeira. Apenas uma vez na sua vida, cada caule falso dá um ramo de flores, que, aos poucos, vai se transformando num cacho de bananas. 0 cacho é formado por pencas de frutas que, ao todo, podem chegar a somar até duzentas bananas. Depois de ter produzido o cacho, outro pé começa a crescer do rizoma subterrâneo e dele nascerá o próximo cacho. Existem cerca de cem tipos de banana cultivados no mundo todo, porém os mais conhecidos no Brasil são:

banana-nanica (banana d'água, banana-da-china, banana-anã ou bananachorona): tem casca fina e amarelo-esverdeada (mesmo na fruta madura) e polpa bastante doce, macia e de aroma agradável. Cada cacho tem por volta de duzentas bananas;
banana-prata (banana-anã-grande): fruto reto, de até 15 cm de comprimento, casca amarelo-esverdeada, de cinco facetas, polpa menos doce que a da banana-nanica, mais consistente, indicada para fritar;
banana-maçã (banana-branca): de tamanho variado, pode atingir, no máximo, 15 cm e pesar 160 g. É ligeiramente curva, tem casca fina, amarelo-clara, e polpa branca, bem aromática, de sabor muito apreciado. Recomendada como alimento para bebês, fica muito gostosa amassada e misturada com aveia, biscoito ralado ou farinhas enriquecidas;
banana-da-terra (banana-chifre-de-boi, banana-comprida, pacovão): são as maiores bananas conhecidas, chegando a pesar 500 g cada fruta e a ter um comprimento de 30 cm. É achatada num dos lados, tem casca amarelo-escura e polpa bem consistente. Só pode ser consumida assada, frita ou cozida;
banana-de-são-torné (banana-curta, banana-do-paraíso): há dois tipos, que se diferenciam apenas na cor da casca - roxa ou amarela. São pouco apreciadas, devido à polpa amarela e ao cheiro muito forte. Recomenda-se consumi-Ias cozidas, fritas ou assadas;
banana-ouro (iniajá, banana-dedo-de-moça, banana-mosquito, banana-imperador): é a menor de todas as bananas, medindo no máximo 10 cm. Tem forma cilíndrica, casca fina de cor amarelo-ouro, polpa doce, de sabor e cheiro agradáveis. É muito usada para fazer croquetes;

A banana é uma fruta de alto valor nutritivo. É muito rica em açúcar e sais minerais, principalmente cálcio, fósforo e ferro. Também contém vitaminas A, B1, B2 e C. Fácil de digerir, pode ser dada às crianças a partir dos 6 meses de idade. Como quase não tem gordura, é indicada nas dietas baixas em colesterol.
Se a banana vai ser consumida imediatamente, compre a fruta com casca bem amarela e pequenas manchas marrons, de aspecto firme, sem partes moles ou machucadas e que não tenha as pontas verdes. Se a banana não vai ser consumida logo, dê preferência às que estão ainda ligeiramente verdes. Para acelerar o amadurecimento da fruta, embrulhe em folhas de jornal. Para retardar o amadurecimento, compre a banana em pencas, pois as destacadas ficam maduras mais depressa.
A banana deve ser conservada em lugar fresco e seco. Não é aconselhável guardar na geladeira, pois ela perde o sabor e se deteriora com multa facilidade. Se quiser guardar bananas já descascadas, coloque dentro de um recipiente que possa ser bem fechado e mantenha em lugar seco. Para evitar que fique escura, pingue algumas gotas de limão.


CAJU

O fruto do cajueiro tem duas partes: o fruto propriamente dito, que e a castanha, e o pseudofruto, chamado cientificamente pedúnculo floral, que é a parte comumente vendida com o nome de caju. São conhecidas cerca de vinte variedades de cajus classificadas segundo a consistência da polpa, o formato, o paladar e a cor da fruta (amarela, vermelha ou roxo-amarelada, dependendo da variedade). Quando ainda verde, o caju é chamado maturi e é muito usado na cozinha do Nordeste no preparo de picadinhos e refogados. Além de ser consumido ao natural, o caju pode ser preparado em forma de suco simples (cajuada). Combinado com cachaça ou gim, vira o conhecido "caju-amigo", servido como aperitivo. Também é usado no preparo de sorvetes, doces em calda ou pasta, licores, vinhos, xaropes e vinagres. Depois de extraído o suco, sobra o bagaço do caju, muito rico em celulose, que pode ser usado na cozinha como, por exemplo, nas famosas frigideiras nordestinas, uva variação da fritada.
O caju é muito rico em vitamina C e contém ainda, em quantidades menores vitamina A e complexo B.
O caju bom para o consumo deve estar bem fresco. A casca deve ter cor firme, sem manchas ou machucados.
Como é uma fruta muito fácil de estragar, o caju deve ser consumido no mesmo dia da compra. Se estiver bem firme, pode ficar guardado na geladeira por dois dias, no máximo.
Lave bem a fruta sob água corrente. Espete o caju com um garfo várias vezes e esprema o fruto com a mão, deixando cair o mesmo em um recipiente.


CAQUI

O caqui é uma fruta natural da China e do Japão. Foi trazido ao Brasil pelos imigrantes japoneses e se ambientou muito bem em nosso clima e solo. A cor do caqui varia do amarelo esverdeado ao vermelho alaranjado. Quando verde, é amargo e adstringente. Depois de amadurecido, sua polpa fica macia e muito saborosa. Há algumas variedades de caqui que não têm sementes. Há também o caqui chocolate, com polpa escura e mais firme. Em geral, o caqui é consumido ao natural, mas também pode ser usado na preparação de vários tipos de doces. Em alguns países é preparado numa conserva de vinagre, para acompanhar pratos salgados.
É muito rico em açúcar e tem um alto teor de vitaminas A e B, além de sais minerais, como ferro, fósforo e cálcio.
Como o caqui tem a casca muito fina e a polpa mole, é uma fruta delicada e deve ser bem embalada para a sua comercialização. Na hora de comprar, prefira o caqui meio verde e embrulhe em folhas de jornal para amadurecer. Observe bem se a fruta não está rachada,, pois nesse caso o processo de deterioração é muito rápido.
Se o caqui já estiver maduro, guarde na geladeira.


CEREJA

A cereja é uma fruta pequena, redonda e comumente vermelha (existem cerejas amarelas e roxas), muito apreciada na Europa. No Brasil, há apenas plantações experimentais e, comumente, a cereja é vendida somente durante a época de Natal. A cereja pode ser classificada segundo seu grau de acidez. A doce, de polpa macia e suculenta, é servida ao natural, como sobremesa. A ácida, de polpa bem mais firme, é usada na fabricação de conservas, compotas e bebidas licorosas, como o kirsch, o cherry e o marasquino.
Contém proteínas, cálcio, ferro e vitaminas A, B e C. Quando consumida fresca, tem propriedades refrescantes, diuréticas e laxativas. Como a cereja é muito rica em tanino, podendo provocar problemas estomacais, não é aconselhável consumir mais de 200 ou 300 g da fruta por dia.
As cerejas disponíveis no mercado são comercializadas em pequenas cestas ou em pacotes fechados, o que dificulta a escolha. Assim, há sempre alguma dificuldade em verificar se estão firmes, brilhantes e se a casca não tem manchas ou fendas. É conveniente comprar cerejas que ainda tenham o cabinho, pois a falta dele indica que as frutas já foram colhidas há muito tempo. Também é possível comprar cerejas em conserva: cristalizadas, em compota (com caro;co ou sem), em calda comum ou calda de marasquino ou em forma de geléia.
Elas não devem ser guardadas por muito tempo. Quando estão bem frescas, podem ser conservadas por uma semana na gaveta da geladeira ou em lugar seco e arejado.


COCO

Embora ainda não seja comprovado, parece que o coco foi introduzido no Brasil pelos portugueses no século XVI. O fruto do coqueiro é grande, com uma camada externa grossa e fibrosa, e tem no meio uma "noz", que constitui o coco propriamente dito. Essa "noz" tem forma ovalada, com uma das pontas mais dura e pontiaguda, na qual há três "olhos". A casca marrom e dura cobre a camada interna, branca e macia, com cerca de 2 cm de espessura, chamada polpa. Dentro desta última camada há um líquido esbranquiçado, conhecido como a água de coco. Do coco, tudo é aproveitável. A camada externa serve para fabricar capachos, brochas, escovas e tecidos grossos para sacos. Da casca dura da noz, fazem-se objetos caseiros. A parte comestível do fruto são a polpa branca e a água, que podem ser consumidas quando o fruto ainda está verde ou depois de maduro. Quando verde, a polpa é comida com colher e a água é bebida como refresco, pelo seu sabor adocicado e agradável. Da polpa madura, extrai-se óleo e leite de coco. A gordura é usada na alimentação e no fabrico de sabão, cosméticos, detergentes e margarina. O leite de coco, puro ou com água, usado para preparar pratos doces e salgados, é extraído da polpa fresca ralada e prensada. Também a seiva do coqueiro é usada como bebida refrescante.
O valor nutritivo do coco varia de acordo com o seu estado de maturação. À medida que a polpa amadurece, aumenta o seu teor de gorduras. Também contém sais minerais, como potássio e fósforo, e proteínas importantes para o bom funcionamento do organismo. A água de coco contém sais minerais, como sódio, potássio e cloro, e um tipo de açúcar muito fácil de digerir, a glicose. A gordura do coco tem características bem diferentes das demais gorduras e óleos vegetais, parecendo-se mais com as gorduras animais. Também é digerida com facilidade e tem sabor mais agradável que as outras gorduras vegetais. O leite de coco é rico em gordura e sais minerais, contendo também pequena porcentagem de proteínas.
O coco é encontrado nas mais diversas formas e em cada uma delas devem ser observados aspectos diferentes.
Coco verde: fácil de encontrar nas praias do nordeste. A polpa deve ser tenra com consistência de um creme.
Coco maduro: encontrado em feiras e supermercados, deve ser escolhido em função do seu peso e da quantidade de água que tem. Para saber se está em boas condições, é suficiente bater uma moeda na casca, se ele estiver fresco, o som é estridente, se o som for oco, indica que ele está estragado.
Quando fechado, o coco fresco conserva-se por 2 meses. Depois de aberto, deve ser consumido no mesmo dia ou guardado em recipiente tampado, com água, por não mais que 5 dias. O coco ralado pode ser conservado por 2 dias, em saco plástico fechado. O seco, com ou sem açúcar, permanece muito tempo sem se alterar. O leite de coco se conserva bem, não precisando ficar na geladeira. Porém depois que a garrafa for aberta, deve ser consumido rapidamente, pois fica rançoso com facilidade. A gordura de coco pode ser guardada dentro ou fora da geladeira.


FIGO

O figo que conhecemos é o fruto de uma árvore chamada figueira-comum, forma usada para diferenciá-la de outras figueiras, pois essa família de plantas é muito grande. A árvore é pequena, tem casca esbranquiçada e lisa, com folhas grandes e ásperas. O que chamamos de figo é, na verdade, uma inflorescência, ou seja, um conjunto de flores.
A casca do figo é porosa, e varia de cor segundo a espécie, podendo ser roxa, esverdeada, vermelha e, em alguns casos, amarela. De maneira geral, o figo é consumido ao natural. Como entrada, pode ser servido acompanhando presunto; na sobremesa, com chantilly. Os figos verdes são usados para doces em calda, em pasta ou cristalizados e geléias.
Quando maduro, o figo contém bastante açúcar. É rico em vitaminas e sais minerais, principalmente ferro. Também tem propriedades digestivas e laxativas. O figo seco contém mais calorias do que o fresco, porém menos vitaminas, que se reduzem durante o processo de desidratação.
O figo está em bom estado quando tem consistência macia e cor firme, de acordo com a variedade. Não compre frutas que tenham bolor, nem partes muito moles ou amassadas.
Os figos estragam com multa facilidade; por isso, conserve-os na geladeira.
Há várias formas de servir o figo. Mas, como é uma fruta delicada, deve ser preparado sempre com cuidado. Uma forma simples de comer o figo é cortar uma pequena fatia na base e introduzir por aí uma colher, deslocando a polpa. Uma segunda maneira de abrir o figo é cortando-o pela metade. Assim, fica fácil retirar a polpa com uma colher de sobremesa. Para comê-lo com chantilly, por exemplo, corte em quatro, sem separar completamente as partes e abra como uma flor. Para descascar, use uma faca afiada, tomando cuidado para não amassar a polpa.


FRAMBOESA

A Framboesa é uma fruta pequena, arredondada, de cor vermelho-escura e muito suculenta. É originária da Ásia, onde há mais de duzentas espécies. Entretanto, no Brasil não existem espécies naturais, sendo cultivado somente um tipo, que dá frutos entre outubro e janeiro, Apenas 10 % da produção brasileira é comercializada ao natural. O restante é utilizado para fabricar geléias, doces, compotas e licores.
Como comprar: A framboesa é muito delicada e deve ser manuseada o mínimo possível. Compre frutas que não estejam muito maduras, nem amassadas ou sujas.
Como guardar: Para que a framboesa não amadureça demais nem perca o seu sabor, guarde-a na geladeira, mantendo-a na embalagem original, coberta com plástico ou papel de alumínio. Se quiser conservar por aproximadamente uma semana, coloque no congelador. Os doces preparados com framboesa ao natural não podem ser guardados por muito tempo.
Como preparar: Se a framboesa vai ser consumida ao natural, lave cada fruta com cuidado, para evitar que estoure e perca o suco. No entanto, se ela vai ser cozida, não é necessário lavar.


GOIABA

A goiaba é uma fruta nativa da América tropical e fácil de encontrar em todas as regiões do Brasil. Tem forma arredondada ou ovalada, casca lisa ou ligeiramente enrugada e a cor pode variar entre o verde, o branco ou o amarelo. Conforme o tipo, a cor da polpa também varia entre o branco e o rosa escuro ou entre o amarelo e o laranja avermelhado. A goiaba pode ser consumida ao natural, mas também é excelente para se preparar doces em pasta, sorvetes, coquetéis e a tão conhecida goiabada.
Ao natural ela contém bastante vitamina C e quantidades razoáveis de vitaminas A e do complexo B. Além disso, contém sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro. De modo geral, não tem muito açúcar e quase nenhuma gordura. É indicada para qualquer tipo de dieta e, de preferência, deve ser comida crua, pois é a forma em que conserva todas as suas propriedades nutritivas, principalmente a vitamina C. Apenas é contra indicada para pessoas que tenham o aparelho digestivo delicado ou problemas intestinais.
A goiaba ao natural, quando é de boa qualidade, tem formato regular, não apresenta machucados nem marcas de insetos. A casca não deve estar amassada nem ter cortes, e deve ser firme, sem chegar a ser dura. A fruta não deve estar muito verde e nem muito madura, pois em ambos os casos perde o sabor rapidamente e seu valor nutritivo diminui. Se você comprar doce de goiaba em lata, veja se ela não está enferrujada, amassado ou estufada, sinais de que o produto pode estar em mau estado.
Lave bem a goiaba e enxugue. Depois, coloque na gaveta da geladeira, pois a fruta se estraga com muita facilidade. Se a goiaba não for consumida logo e começar a ficar passada, use-a para fazer doces.


GRAPEFRUIT

O grapefruit, também conhecido como pomelo, é uma fruta cítrica (como a laranja e o limão), de tamanho bem grande (cerca do dobro de uma laranja), com a casca amarela, polpa amarelo clara ou rosada e sabor ácido amargo bem marcante. Em geral, o grapefruit é servido no café da manhã ou como entrada em refeições mais sofisticadas. Os gomos também podem ser usados em saladas. O suco é muito refrescante e ótimo para a saúde.
Essa fruta contém alto teor de vitamina C, algumas proteínas, pouca gordura e é rica em celulose, uma substância excelente para o bom funcionamento do intestino.
Pode ser encontrado nos supermercados e nas feiras livres. Ao comprar, escolha uma fruta firme, resistente à pressão dos dedos, com casca lisa e brilhante. Também é possível encontrar o suco concentrado e enlatado.
Deve ser conservado em lugar bem ventilado. Nunca o guarde na geladeira, porque perde grande parte do seu sabor e aroma.


JABUTICABA

A jabuticaba é uma fruta silvestre. de cor roxo escuro ou negra, segundo a variedade da planta, e polpa suculenta, mole e esbranquiçada. Há três tipos diferentes de jabuticaba: jabuticaba gaúcha (jabuticaba tuba ou jabuticaba açu), que é grande, de casca fina, roxo escura, e de poupa branca; jabuticaba de cabinho, reconhecida pelos cabinhos compridos: e jabuticaba sabará ou miúda, pequena e de casca grossa. A jabuticaba pode ser consumida ao natural ou usada para fazer doce, geléia, licor ou vinho.
É rica em ferro e contém, em menores quantidades, cálcio e fósforo. Também fornece algumas vitaminas, principalmente a C.
A jabuticaba é vendida por quilo. Quando for escolher, prefira as que estejam viçosas, firmes, brilhante e sem rachaduras.


JACA

A jaca é uma fruta originária do arquipélago malaio, introduzida e difundida no Brasil durante o século XVIII. O fruto é enorme - chega a pesar até 15 kg -, de forma ovalada ou arredondada, e nasce no tronco e nos galhos mais baixos da jaqueira. Quando a fruta está madura, tem cor amarelada e superfície áspera com pequenas saliências. O interior da jaca é formado por vários gomos, sendo que cada gomo contém um grande caroço recoberto por uma polpa cremosa, viscosa e muito aromática. A jaca pode ser consumida ao natural ou no preparo de doces (em calda, em massa, cristalizado) e de geléia. Um cuidado importante ao fazer doce de jaca: qualquer que seja a preparação do doce, é necessário juntar suco de limão à calda, 5 minutos antes de tirar do fogo.
A jaca é muito rica em hidratos de carbono. Contém poucas vitaminas e sais minerais.
Para saber se a jaca está madura e boa para o consumo, veja se as saliências estão bem desenvolvidas e amarelas. Quando pressionada com os dedos, deve ter consistência firme.


LARANJA

Laranja é o nome genérico dado a várias frutas que pertencem ao grupo dos citrus (dentro deste grupo estão também o limão, a lima, a cidra, o grapefruit, etc.). Quase todas as variedades de laranja têm forma arredondada, casca fibrosa e polpa suculenta. Entre as várias espécies de laranja, as híbridas (produto da mistura de duas ou mais espécies diferentes) são as de maior tamanho, têm melhor sabor e maior quantidade de suco. No Brasil, as variedades mais cultivadas e conhecidas são:

laranja-da-baia: também conhecida como laranja-de-umbigo porque tem uma saliência na parte de baixo. Tem sabor adocicado, polpa muito suculenta e casca amarelo-gema. Dá bastante suco, podendo ser consumida ao natural, em refrescos ou como ingrediente de pratos especiais. Por ser pouco ácida, seu suco pode ser misturado ao de outras variedades (como laranja-pêra e laranja-barão) com bons resultados. É o tipo de laranja que contém a maior quantidade de vitamina C;
laranja-da-terra: conhecida em algumas regiões como laranja-cavala e em outras como laranja-azeda ou laranja - bigarada, tem cor amarelo-forte com tons avermelhados, forma achatada e não é muito grande. De sabor ácido e polpa suculenta, pode ser consumida em forma de suco, mas a melhor maneira de prepará-la é a compota, tipo de doce em que a casca também pode ser usada;
laranja-lima: é a variedade menos ácida, sendo, por isso, muito recomendada para bebês. Tem casca fina de cor amarelo-clara, sabor suave é doce e polpa muito suculenta. É ótima para ser comida em gomos, mas não se presta a outros preparos culinários;
laranja-seleta: quase do tamanho da laranja-da-baía, é bem suculenta, tem sabor adocicado, pouco ácido, e casca amarelo-clara. Excelente para ser consumida ao natural ou em sucos, não se presta para preparações culinárias;
laranja-pêra: menor que as outras variedades, tem casca fina e lisa, de cor amarelo-avermelhada e polpa suculenta. Tem sabor adocicado, e é especial para o preparo de sucos e geléias; laranja-bardo: embora com formato parecido ao da laranja-pêra, é menor e tem cor mais clara. Sua casca é fina e lisa e a polpa muito suculenta, sendo recomendada para o preparo de sucos e pratos especiais.

Os nutrientes da laranja diferem conforme a variedade da fruta. Porém, de forma geral, qualquer tipo de laranja contém quantidades apreciáveis de sais minerais, principalmente cálcio, potássio, sódio e fósforo. A laranja também é rica em vitaminas do complexo B, contém um pouco de vitamina A e é considerada a melhor fonte de vitamina C (duas laranjas por dia fornecem a quantidade de vitamina C de que o organismo precisa). Além disso, a laranja contém açúcares simples, que são facilmente assimilados pelo organismo. Da flor e da folha da laranjeira extraem-se óleos e essências usados na medicina caseira.


LIMÃO

Provavelmente, o limão é a fruta mais conhecida e usada do mundo. São tantas suas aplicações na vida doméstica que fica difícil enumerá-las. Tudo nele é aproveitável. Com seu suco preparam-se refrigerantes, sorvetes, molhos e aperitivos, bem como remédios, xaropes e produtos de limpeza. Da casca retira-se uma essência aromática usada em perfumaria e no preparo de licores e sabões. Enfim, muitas são as utilidades deste cítrico fácil de achar durante o ano todo, nas suas diversas variedades. Em geral, todos os tipos de limão têm aspecto semelhante, embora mudem no tamanho e na textura da casca, que pode ser lisa ou enrugada. Quanto à cor, variam do verde-escuro ao amarelo-claro, exceto uma das espécies, que se assemelha a uma mexerica. As variedades de limão mais conhecidas são:

limão-galego: pequeno e suculento, de casca fina, cor verde-clara ou amarelo-clara;
limão-sicíflano: grande, de casca enrugada e grossa, menos suculento e mais ácido que o galego;
limão-cravo: parecido com uma mexerica, tem casca e suco avermelhados e sabor bem forte;
limão-taiti: de tamanho médio, casca verde e lisa, muito suculento e pouco ácido.

O limão é uma excelente fonte de vitamina C, muito importante para combater as infecções, pois aumenta a resistência do organismo. Contém ainda vitamina A e vitaminas do complexo 13, além de sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro. O suco de limão é um ótimo tônico e bactericida. Essa fruta assim como todas as outras exceto o damasco e a ameixa fornecem ao organismo sais minerais e oligo-elementos e são alcalinizantes . Seu consumo deve ser privilegiado em caso de acidez. São alimentos que contém pouco ou nada de elementos ácidos e em compensação são muito ricos em sais minerais alcalinizantes.
Limão-galego: deve ter casca fina e lisa. Escolha os mais pesados em relação ao tamanho e que cedam levemente à pressão dos dedos. Limão-siciliano: de cor verde e casca grossa. Escolha da mesma maneira que o limão-galego. Limão-cravo: mesmo verde, tem boa quantidade de suco, mas é sempre preferível escolher os maduros, pois têm maior valor nutritivo.
Limão-taiti: com casca bem verde, quando maduro deve ceder à pressão dos dedos.
Se o limão ainda está verde, guarde-o em lugar fresco, seco e arejado. Depois de maduro, conserve na geladeira, na gaveta própria para frutas e legumes. Um limão já cortado durará mais tempo se for guardado na geladeira, em um pires coberto com uma xícara.


MAÇÃ

A maçã é uma das frutas mais conhecidas do mundo, principalmente por ser a protagonista de lendas e histórias muito famosas, como a de Adão e Eva na Bíblia, e de contos infantis como o da Branca de Neve. Ela é o fruto da macieira (que pode ser um arbusto ou uma árvore), tem forma arredondada, tamanho variável entre 5 e 10 cm de diâmetro, sua cor muda segundo o tipo, podendo ser vermelha, amarela ou verde. A cor da polpa da maçã varia entre o branco e o amarelo, assim como sua consistência, que, segundo a variedade pode ser compacta ou esfarelada. No Brasil, as variedades de maçã mais conhecidas são a amarela ou dourada e a vermelha. A maior parte das frutas que se encontra no mercado é importada, principalmente de países com climas temperados. Na cozinha, a maçã tem inúmeros usos e pode ser preparada de muitas maneiras, acompanhando pratos salgados ou para fazer vários tipos de doce.
Ela contém quantidades razoáveis de vitamina A, B1, B2 e C e de sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro. Como também fornece bastantes calorias, nem sempre é permitida nas dietas de emagrecimento. O teor de água e vitamina C que a maçã tem torna-a um bom alimento para as crianças, pois, além de nutrir, é um excelente hidratante. É de fácil digestão e aconselha-se consumi-la ao natural e com casca para aproveitar melhor as vitaminas.
É encontrada em feiras livres, supermercados e quitandas. O preço varia conforme o país e região de importação. As melhores são as de cor acentuada, firmes e mais pesadas em relação ao volume. Procure maçãs de casca lisa e limpa e evite as que têm depressões ou machucados na casca. Nos supermercados também encontramos suco de maçã concentrado, enlatado e congelado, maça dessecada, geléias, compotas e purê de maças em vidros (preparado para crianças).
A maçã é uma fruta que se conserva bem durante bastante tempo. Quando vai ser consumida logo, guarde na gaveta da geladeira ou deixe em uma fruteira em local ventilado, tomando cuidado para que a parte do cabo fique para baixo, ao abrigo da umidade. Para guardar por períodos maiores, mantenha a maçã no congelador com a temperatura um pouco acima do ponto de congelamento (2 Graus C).


MAMÃO

O mamão é uma fruta típica das regiões tropicais e subtropicais, conhecido por vários nomes: papaia, no México; fruta boma, em Cuba; passaraiva, no Nordeste do Brasil. O mamão é encontrado durante o ano todo e, dependendo da variedade a que pertence, tem tamanho, peso, sabor e cor diferentes. A polpa, macia e muito aromática, também varia de cor, entre o amarelo-pálido e o vermelho, passando por diversos tons de laranja e salmão. A casca geralmente é fina, bastante resistente, aderida à polpa, lisa, de cor verde escura, que vai se tornando amarelada ou alaranjada à medida que o fruto vai amadurecendo. O formato do mamão também varia dependendo da espécie. O mamão da baía, por exemplo, é alongado, lembrando uma grande pêra. O mamão da índia tem saliências no sentido longitudinal. O mamão macho, também conhecido como mamão corda, é fino e comprido. O mamão fêmea é bem maior e com forma arredondada. Em geral, o mamão é consumido ao natural, com ou sem açúcar, acompanhado de suco de limão ou de chantilly. Na cozinha, também serve para uma grande variedade de doces, bebidas e saladas.
Quando maduro e consumido ao natural, o mamão é um excelente alimento, pois a polpa é muito rica em nutrientes. Contém grandes quantidades de sais minerais (cálcio, fósforo, ferro, sódio e potássio) e vitaminas A e C. Além disso, também contém papaina, uma substância importante para o bom funcionamento do aparelho digestivo. É uma fruta com propriedades laxativas e calmantes, sendo indicado a pessoas que têm o estômago delicado, que estejam fazendo regime de emagrecimento ou que desejem manter o peso.
O mamão bom para consumo não deve ter rachaduras, partes escuras ou machucadas nem picadas de insetos. A casca deve estar bem firme e limpa.
Se o mamão ainda estiver verde, embrulhe em folhas de jornal e guarde em lugar fresco e escuro. Não risque a casca da fruta com uma faca ou um garfo para que saia o leite, pois essa substância contém muitos nutrientes que dão sabor à fruta. Se o mamão já estiver maduro, coloque na geladeira, o mais longe possível do congelador.


MANGA

A mangueira é uma árvore tropical que pertence à mesma família do cajueiro. O fruto varia muito em tamanho e cor. As mangas menores são do tamanho de uma nêspera, enquanto as variedades maiores chegam a pesar até 2 kg. Também na forma, os diferentes tipos de manga variam muito. Há redondas, ovais, alongadas e finas, do formato de um coração ou até mesmo de um rim. Em relação à cor, podem ter casca bem verde, amarela ou vermelha, segundo a variedade. A polpa da manga é suculenta, com sabor bem característico, algumas vezes fibrosa e de cor que varia do amarelo-claro ao alaranjado-escuro. No Brasil, há cerca de quinhentas variedades de manga, entre as quais as mais conhecidas são:

Manga-aden : grande, de cor vermelho-amarelada, em forma de coração, doce e sem fibras;
Manga-rosa : um pouco menor que a anterior, de cor amarelo-rosada e polpa fibrosa;
Manga-coquinho : de cor verde-amarelada, pequena e arredondada, muito doce e quase sem fibras;
Manga-coração-de-bol : muito parecida com a manga-bourbon, tem forma de coração, grande, de cor amarelo-esverdeada e polpa sem fibras. A manga pode ser consumida ao natural, chupando-se através de um pequeno orifício aberto numa das pontas, ou descascando-se e cortando-se em pedaços. Na cozinha, usa-se a manga em molhos, conservas ou como acompanhamento de pratos exóticos.

A manga é riquíssima em vitamina A (sobretudo quando madura) e contém quantidades razoáveis de vitaminas do complexo B e vitamina C, além de alguns sais minerais, principalmente ferro. Também tem propriedades diuréticas, o que a toma aconselhável para as pessoas que tendem a reter líquidos no organismo. Como é muito rica em calorias, não deve fazer parte da dieta de quem deseja perder peso.
A manga boa para o consumo tem de ter a cor bem típica (qualquer que seja a cor, dependendo da variedade) e deve mostrar-se macia quando apertada com os dedos, mas sem que a casca se rompa pela pressão. Se tiver batidas, rachaduras ou estiver coberta com um líquido grudento, não é aconselhável o seu consumo, pois são sinais de que a fruta está passada. Por outro lado, quando está muito verde não tem sabor agradável. A manga também pode ser encontrada em calda, em forma de suco ou de purê doce.
Para conservar a manga, mantenha-a em lugar fresco e ventilado. Se estiver verde, pode-se apressar o amadurecimento envolvendo a fruta em folhas de jornal por alguns dias. A manga madura não deve ser guardada por mais de dois dias.
Para comer a manga ao natural, o melhor é descascar e cortar a fruta. Para comer a manga com a mão, lave em a casca e corte em fatias inteiras, de cada lado, bem rente ao caroço. Lave bem a fruta sob água corrente e descasque com uma faca afiada, tomando cuidado para não cortar parte da polpa. Corte em fatias até chegar no caroço. Na parte do meio, corte a polpa bem rente ao caroço. Faça cortes no sentido do comprimento e da largura de cada fatia e dobre para fora, de tal forma que os cubos de polpa fiquem salientes. Se a manga vai ser usada em doce ou em salada de frutas, corte em fatias laterais e separe a polpa da casca com uma colher. Depois, descasque a parte central (onde ficou o caroço) e corte em pedaços pequenos.


MARACUJÁ

O maracujá é o fruto de uma planta trepadeira, muito conhecida em todo o Brasil, tanto pela fruta como pela flor, também chamada de flor da paixão. Há muitas espécies de maracujá, que variam de tamanho e cor. Entre as mais conhecidas encontram-se: maracujá mirim, maracujá melão, maracujá do igapó, maracujá guaçu e maracujá comprido. A casca da fruta é garça e pode ser amarela ou vermelha. A polpa, a parte comestível do maracujá, é formada por semente pretas cobertas de uma substância amarela e translúcida, ligeiramente ácida e de aroma acentuado. O suco de maracujá pode ser consumido como refresco ou ser empregado no preparo de pudins, sorvetes, geléias, compotas e, claro, na famosa e tradicional batida de maracujá.
É rico em vitaminas do complexo B e sais minerais, como ferro e fósforo. Além disso, também contém uma substância, chamada passiflorina ou maracujina, que tem propriedades sedativas, mas não é prejudicial pois não causa dependência.
O melhor maracujá para o consumo é aquele que tem a casca lisa e firme, brilhante e de cor amarelo clara. Não deve ter furos provocados por insetos, nem rachaduras ou machucados. A fruta está madura se, ao se pressionar o extremo oposto ao cabo, ele cede à pressão dos dedos, mas sem que se rompa a casca. A casca muito enrugada e a cor amarelo escura indicam que o maracujá já está bem maduro, neste caso, em geral, ele tem mais polpa do que quando sua casca ainda está lisa.
Como a casca do maracujá é grossa, a polpa fica bem protegida, podendo conservar-se durante vários dias na geladeira ou fora dela, desde que o ambiente seja fresco e seco. Quando a fruta está amadurecendo ou já está madura, convém guardar na gaveta da geladeira, longe do congelador. O suco pode ser guardado por vários dias se engarrafado em recipiente de vidro bem fechado. Não coloque em vasilhame de plástico ou de outro material que não seja vidro, pois os mesmos alteram o sabor do maracujá.


MARMELO

O marmelo é uma árvore de muitos galhos, folhas duras e cor verde escura. A flores são grandes e brancas ou rosadas. O fruto, o marmelo, tem cor dourada, formato arredondado ou parecido a uma pêra e tamanho de um limão doce. O marmelo é uma fruta ácida (mesmo depois de cozida), de perfume forte, mas agradável, e de polpa dura. Geralmente, o marmelo não é consumido ao natural. No entanto, é uma fruta ótima para fazer doces em pasta (marmelada) ou geléia, xaropes e licores.
O marmelo cru é uma boa fonte de vitamina C, mas, durante o cozimento, se perde grande parte dessa vitamina. Também contém vitaminas do complexo B e alguns sais minerais. Além disso, auxilia no bom funcionamento do aparelho digestivo.
Embora não seja muito comum, é possível encontrar marmelo em algumas feiras livres. Ao comprar, escolha os frutos maiores, mais pesados e de formato regular, sem sinais de picadas de insetos ou manchas esverdeadas.
O marmelo maduro se conserva muito bem fora da geladeira durante 6 ou 7 dias


MELANCIA

A melancia pertence à mesma família da abóbora e do melão. É uma planta rasteira, com folhas grandes e flores pequenas, de cor amarela. A fruta pode ser arredondada ou alongada, com tamanho variável entre 25 e 75 cm. A casca é lisa, lustrosa, verde clara ou verde escura, com estrias de um verde mais forte no sentido do comprimento. A polpa da melancia é vermelha, com muitas sementes, achatadas e pretas. Há uma variedade de melancia, conhecida como melancia japonesa ou kodama, que tem poupa amarela. Em geral, a melancia é consumida ao natural, como sobremesa, principalmente no verão. Sua polpa dá também um excelente suco e uma compota de sabor muito agradável.
É uma fruta altamente refrescante, ideal para ser consumida em épocas de muito calor. Tem propriedades hidratantes (contém certa de 90% de água). Além disso, possui também açúcar, vitaminas do complexo B e sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro.
Uma melancia de boa qualidade tem casca firme, lustrosa e sem manchas escuras. As manchas claras não são sinais de um produto de má qualidade. Para saber se está boa por dentro, bata com os nós dos dedos na casca. Se o som for oco, a melancia está boa. Também é possível saber se ela está boa, calando-a: corte um pedacinho e prove. Lembre-se que as melhores melancias são as que têm polpa bem vermelha e bastante suco.
Fora da geladeira, a melancia se conserva bem durante uma semana se guardada em lugar fresco e arejado. Depois de cortada, deve ser conservada na geladeira, envolvida em plástico ou papel alumínio, para evitar que absorva o odor de outros alimentos.


MELÃO

O melão é a fruta de uma planta da família da abóbora e da melancia. Tem forma variável, podendo ser redondo, oval ou alongado, mas em geral todos os tipos têm entre 20 e 25 cm de diâmetro. A casca pode ser lisa, enrugada ou apresentar nervuras em forma de rede. A cor da casca varia do verde ao amarelo e a da polpa também muda segundo o tipo, havendo melões amarelados, esverdeados e esbranquiçados. Em geral, o melão é uma fruta bem aromática, de gosto definido, mas também é possível encontrar melões insípidos, sem gosto particular, ou mesmo amargos. A planta do melão é rasteira e bem parecida à da melancia. Tem folhas grandes, com cinco pontas salientes. As flores são brancas, algumas vezes amareladas ou alaranjadas, pequenas e frágeis. Na cozinha, o mais comum é servir o melão ao natural como entrada ou como sobremesa. No primeiro caso, ele é temperado com sal ou gengibre em pó. Um prato conhecido e considerado de paladar sofisticado é o melão com fatias de presunto cru. Como sobremesa, pode ser adoçado com açúcar e mel.
O melão tem propriedades refrescantes e, por isso mesmo, é ideal para as épocas de muito calor. Também tem propriedades hidratantes, pois a fruta compõe-se de 90% de água. Contém vitaminas A, C e E, além de alguns sais minerais como cálcio, fósforo e ferro. É uma fruta ótima para regimes de emagrecimento.
A compra do melão requer alguns cuidados para se ter certeza de que a fruta está em boas condições de consumo. Um melão maduro apresenta as seguintes características: quando comprimido nas extremidades, ele cede levemente; como as sementes devem estar soltas, sacuda a fruta e veja se faz ruído; a casca precisa estar bem firme, ter cor forte e não apresentar rachaduras, partes moles ou perfurações de insetos; o perfume da fruta deve ser suave e agradável.
Ele deve ser conservado em lugar fresco e arejado. Assim, ele se mantém em bom estado por uma semana. Se a fruta já estiver madura, convém guarda-la na geladeira. Caso ela esteja aberta, cubra com plástico ou papel de alumínio para que não absorva os odores dos outros alimentos. Para apressar o amadurecimento do melão, envolva a fruta em uma folha de jornal por 1 ou 2 dias.


MEXERICA

Tangerina, mexeriqueira, bergamota, vergamota, laranja-cravo, laranjamimosa, laranjamandarim, tangerinacarioca e tangerinamineira são alguns dos nomes, usados em diferentes regiões do Brasil, para designar algumas variedades de frutas cítricas comumente conhecidas pelo nome de mexerica. As árvores que produzem essa fruta têm tamanho médio e são espinhosas, com copa cheia e arredondada, formada por folhas pequenas de cor verde-escura. As flores, de perfume muito suave, são brancas e bem pequenas. A mexerica se diferencia dos outros cítricos porque sua casca se solta facilmente dos gomos e por ter um emaranhado de fibras cobrindo a polpa, em vez da membrana branca que caracteriza os outros cítricos. As variedades mais conhecidas de mexerica são: mexerica-cravo: muito suculenta, com sabor um pouco ácido; mexerica comum: um pouco maior que a anterior, também saborosa e suculenta, mas menos ácida; poncã de gomos grandes e casca bem solta da polpa; poncã-extra: de casca grossa e bem enrugada, gomos grandes e nem sempre muito suculenta. Em geral, a mexerica é consumida ao natural, quando se apreciam melhor o sabor e o aroma levemente perfumado. Com as mexericas-cravo e a comum preparam-se sucos, refrescos, sorvetes e cremes. Não é aconselhável fazer compotas ou geléias com essa fruta, pois ela não tem muita consistência. O uso da mexerica na cozinha é bem mais restrito que o da laranja.
A mexerica' de boa qualidade deve ser pesada em relação ao tamanho e ter a cor e a textura da casca próprias de cada variedade (quando a casca é fina e frouxa o fruto não é de boa qualidade). Se a mexerica estiver opaca, com mofo e manchas ao redor do cabo, é sinal de deterioração. Na hora da compra, pressione levemente a fruta com os dedos. Se ela estiver firme, está em bom estado. Também é possível encontrar mexerica em forma de sucos enlatados, concentrados e congelados, assim como refrescos prontos para o consumo.
Guarde em lugar fresco e arejado, evitando colocar as frutas umas sobre as outras para que não amassem. Quando maduras, conservam-se bem por quatro ou cinco dias. Depois começam a amolecer ou embolorar. Não é aconselhável guardar a mexerica na geladeira.


NÊSPERA

A nêspera é uma fruta pequena, de cor amarela e casca aveludada, erroneamente chamada de ameixa-amarela ou ameixa-japonesa. E uma fruta rica em vitamina C e sais minerais, como cálcio e fósforo. A nêspera é consumida ao natural ou em saladas, misturada com outras frutas.
A nêspera boa para o consumo deve ser fresca e firme, sem estar dura demais nem murcha. Não compre as frutas que tenham manchas escuras.
Certifique-se primeiro de que as frutas não estão amassadas. Sem lavar, coloque-as num saco plástico e guarde na gaveta da geladeira.


PÊRA

A pêra é o fruto de uma árvore que pertence à mesma família da macieira. Existem inúmeras variedades de pêra, que se diferenciam em forma, tamanho, cor, consistência, sabor, aroma e casca. Pode ter o formato de um violão, de uma bola, etc, com tamanhos que podem variar de 6 a 15 cm de comprimento. A cor pode variar entre o verde, o amarelo, o castanho e o vermelho. Quanto à consistência, os tipos de pêra variam entre a dura e granulosa e a macia e cremosa, que se desmancha na boca. Entre as muitas variedades cultivadas no Brasil, principalmente no sul do país, e as importadas, as mais conhecidas são: pêra d'água (ou dona joaquina), muito saborosa e de consistência delicada; pêra da aguieira, muito suculenta e aromática; pêra de pé curto, arredondada e semelhante à maçã; pêra de almeida, natural da França, onde é conhecida como duchesse d'Angoulème; pêra de arrátel, também chamada pêra gigante. Além dessas, também são cultivadas outras variedades, como pêra de cristo, pêra de bom cristão, pêra de ferro, pêra de engonxo e pêra de refego. Apesar de ser uma fruta consumida só ao natural, ela é ótima para o preparo de tortas, compotas, geléias, musses e cremes. Em pratos salgados, a pêra é excelente para acompanhar queijos de sabor picante ou forte, como o provolone, o gruyère e o emmental, servidos sempre com um vinho branco gelado.
O valor nutritivo da pêra depende do seu grau de maturação. Quando passada, perde cerca de 3/4 do valor de seus nutrientes. Verde, faz mal para o estômago porque se torna indigesta. No entanto, quando está no ponto, ela é uma fruta excelente. Contém proteínas, gorduras, sais minerais e vitaminas, quase todos concentrados junto à casaca. Para as pessoas de aparelho digestivo delicado, recomendam-se as pêras macias, descascadas ou, de preferência cozidas.
A pêra de boa qualidade tem casca firme, sem ser dura (a casca dura indica que a fruta foi colhida antes do tempo e logo ficará murcha, esfarelada e sem sabor), é limpa, sem cortes nem machucados e sem manchas nem picadas de insetos.
Para o consumo imediato, compre pêras tenras, sem marcas de apodrecimento.
Conserve as pêras em lugar fresco, seco e arejado. Não guarde na geladeira porque ela perde parte do aroma e do sabor.


PÊSSEGO

O pessegueiro é uma árvore de difícil cultivo no Brasil, pois para que tenha um bom crescimento, precisa de temperaturas muito baixas durante o inverno. No entanto, atualmente já existem grandes culturas de pêssego nas regiões Sul e Centro Sul do país (principalmente Rio Grande do Sul e Paraná). Há várias espécies de pêssego que, segundo a variedade, tem forma arredondada ou alongada. A pele da fruta é aveludada, de cor que varia entre o branco, o amarelo e o vermelho. A polpa, suculenta e doce, tem um aroma agradável bem característico. Em geral, os pêssegos são classificados em dois grandes grupos: os de polpa amarela e os de poupa branca, cada um tendo as variedades de "caroço solto" e "caroço aderente" . O de caroço solto tem a polpa mais macia e é de digestão mais fácil, sendo mais adequado para ser consumido ao natural. A variedade de caroço aderente tem a polpa dura e é mais apropriada para o preparo de compotas.
O pêssego é uma fruta excelente do ponto de vista nutritivo, pois possui apreciável teor de vitaminas A, C e D e sais minerais (principalmente potássio). Quando fresco, tem grande quantidade de água, o que o torna indicado para doenças da bexiga e dos rins, pois é levemente diurético.
Na hora de comprar, não se oriente pelo tamanho, porque nem sempre o pêssego maior corresponde ao mais saboroso ou ao de melhor qualidade. O pêssego bom para o consumo deve ser fresco, de cor creme, amarelada, branca ou avermelhada e de consistência firme, mas não dura. Nunca compre frutos com a pele verde, isso indica um mal amadurecimento. Também é possível encontrar pêssegos cristalizados, secos, em conserva, em compotas enlatadas, sob a forma de doce em massa (pessegada), de geléia e como ingrediente de licores. Quando for comprar algum desses produtos, prefira os de marca reconhecida, como medida de segurança.
O pêssego que estiver em boas condições poderá ser guardado na geladeira por aproximadamente 3 ou 4 dias. O que já estiver muito maduro ou com partes machucadas deverá ser consumido imediatamente, pois se deteriorará com muita facilidade. Para evitar que o pêssego guardado na geladeira se desidrate e perca as propriedades nutritivas, guarde-o em recipiente fechado, longe do congelador. O pêssego só deve ser lavado momentos antes de ser consumido.


UVA

A parreira, a planta que produz a uva, é cultivada desde as épocas mais remotas. Na antiguidade, seu cultivo foi tão importante na Ásia menor e na Grécia, que originou o mito de um deus específico: Dionisio. A fruta compõe-se de vários bagos, que variam de tamanho segundo a espécie. Cada bago tem uma camada fina que envolve a polpa e as sementes. A cor também varia conforme o tipo : há uva com diferentes tonalidades de amarelo, de verde, de rosa, de roxo e até mesmo de preto. No Brasil, especialmente nos Estados de São Paulo e Rio Grande do Sul, são cultivadas algumas variedades de uva, como a niágara-rosada (a mais consumida), a niágara-branca, a moscatel comum, a moscatel de hamburgo, a moscatel rosada e a uva itália. Entre as variedades importadas (geralmente da Argentina e do Chile), destacam-se a niágara roxa, a moscatel chilena e a chilena sem semente.
As uvas podem ser consumidas ao natural, como sobremesa ou no lanche, acompanhadas ou não de outras frutas. As de qualidade inferior podem ser aproveitadas no preparo de doces, geléias, tortas, bolos, cremes, pudins e ponches.
A composição da uva muda conforme a variedade. No entanto, geralmente a uva contém bastante açúcar, pequenas quantidades de vitaminas do complexo B, vitamina C e sais minerais, como ferro, cálcio e potássio. A uva tem propriedades laxativas e diuréticas, estimula as funções do fígado e acelera o ritmo das contrações cardíacas. É recomendada para qualquer tipo de dieta, exceto para pessoas diabéticas e que fazem regime de emagrecimento.
Na hora da compra, prefira os cachos bem cheiros, com bagos firmes e lisos, de cor e tamanho apropriados para a variedade. A fruta não deve se desprender com facilidade do cacho, pois isso é sinal de que está começando a passar do ponto. Também é possível comprar vários produtos industrializados, como geléia, suco e uva seca, mais conhecida como uva passa.
Para que a uva se conserve por mais tempo, guarde em lugar fresco, de preferência na gaveta da geladeira própria para verduras e frutas. Antes de guardar, retire os bagos estragados, para que não deteriorem os demais.
Se os cachos de uva forem muito grandes, divida com uma tesoura. Depois, lave cada pedaço sob bastante água corrente, tomando cuidado para eliminar as possíveis sujeiras ou resto de fertilizante que se encontrem entre os bagos. Se a uva estiver na geladeira, convém deixá-la durante 10 minutos em temperatura ambiente antes de lavar, para que a fruta não perca seu aroma e sabor.
 
 
http://alimentacaovivaxsaude.blogspot.com.br/2011/