IMPOSTÔMETRO:

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER --

ANÚNCIO:

ANÚNCIO:

domingo, 25 de setembro de 2016

tubérculos curiosos...

Conheça um pouco desses tubérculos e legumes curiosos e veja quais seus benefícios.

Cará:
O cará é um tubérculo cultivável. As várias espécies de cará pertencem ao gênero Dioscorea,

da família Dioscoreaceae. O padre José de Anchieta menciona o cará em seus escritos, louvando seus valores. Seu nome vem de um termo de origem tupi, através do vocábulo ka’rá .

Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, a espécie Dioscorea trifida (cará doce) é originária da América do Sul, enquanto que outras espécies vêm do oeste da África (como D. rotundata), do sul da Ásia (D. alata) ou da China (D. opposita); foram espalhadas por viajantes portugueses, espanhóis e árabes . O cará doce foi cultivado pela primeira vez pelos índios nas regiões limítrofes entre o Brasil e as Guianas . O cará completava a roça dos índios, junto com a mandioca, amendoim, batata-doce etc. O cará é também chamado de inhame , um nome que se origina de línguas do oeste da África.

Como hortaliça, o cará é um alimento energético. Também destaca-se como fonte de vitaminas do complexo B. Podem ser cultivados o cará subterrâneo e o cará aéreo, comum em algumas regiões do interior do Brasil, mas dificilmente encontrado no mercado das grandes cidades.

O cará é um alimento rico em carboidratos, sendo um alimento altamente energético. Contém uma grande quantidade de vitaminas do Complexo B – B1 (Tiamina), B2 (Riboflavina), B5 (Niacina), B6 (Piridoxina)- e é rico em fibras solúveis. Os nutrientes encontrados no cará fortificam os nervos; estimulam o apetite e o crescimento; e auxilia no processo digestivo.

Os nomes “cará” e “inhame” são, também, comumente utilizados para se designar espécies de taro (Colocasia) , deAlocasia e de Xanthosoma, porque os tubérculos subterrâneos de todas essas plantas são parecidos e preparados na culinária de modo semelhante. Esses outros gêneros de plantas, no entanto, pertencem a uma outra família de plantas: as Araceae.

Cenoura:
Daucus carota, popularmente conhecido como cenoura ou cenoira, é uma planta da família

das apiáceas conhecida e apreciada desde a época dos antigos gregos e romanos. O nome também designa a raiz dessa planta, raiz esta que é tuberosa, laranja, com uma textura lenhosa e comestível.

As cenouras são comidas cruas, inteiras, ou como parte de saladas, e são também cozidas em sopas e refogados. A parte folhosa da planta não é comida na maioria das culturas, mas é comestível.

Benefícios:
Ajudar a alcançar o bronzeado mais rapidamente e proteger a pele dos danos do Sol devido à presença de antioxidantes e vitamina A, que melhora a qualidade da pele prevenindo a formação precoce de rugas, pele seca e manchas;
Ajudar a emagrecer, porque tem poucas calorias e contém fibras;
Prevenir doenças cardiovasculares, porque é rica em carotenóides;
Reduzir colesterol pela riqueza em fibras, especialmente quando consumida crua.

As cenouras são grandes fontes de fibra dietética, antioxidantes, minerais e β-caroteno. Este último, responsável pela coloração alaranjada característica do vegetal, é uma provitamina A (substância que dá origem à vitamina Adentro de um organismo vivo). Ele ajuda o desempenho dos receptores da retina, melhorando a visão. Também ajuda a manter o bom estado da pele e das mucosas. No ser humano, apenas cem gramas de cenoura são suficientes para suprir as necessidades diárias de vitamina A. As cenouras, originalmente, apareciam com cores púrpura, branca e amarela. A cenoura laranja, que é hoje sinônimo de cenoura, foi desenvolvida na Holanda como tributo a Guilherme I de Orange(orange significa “laranja”) durante a guerra holandesa de independência da Espanha, no século XVI. Nunca se deve descascar uma cenoura, pois a parte mais nutritiva está justamente perto da superfície. Basta lavá-la e raspá-la. As maiores cenouras do mundo são obtidas tradicionalmente em Ohakune, na Nova Zelândia .

Mandioca:
Mandioca (do tupi mãdi’og , mandi-ó ou mani-oca que significa “casa de Mani” ), mandioca-


brava ou mandioca-amarga são termos brasileiros para classificar a espécie Manihot esculenta (sinônimo M. utilissima) que possui elevada toxicidade porém são igualmente consumidos após um preparo especial e das quais se produz a maior parte das farinhas e bebidas.

A denominação de “aipim” ou “macaxeira” entre outras são usadas para os tipos com baixa toxicidade e que podem ser consumidos n natura.

O nome dado ao caule do pé de mandioca é maniva, o qual, cortado em pedaços, é usado no plantio. Trata-se de um arbusto que teria tido sua origem mais remota no oeste do Brasil (sudoeste da Amazônia) e que, antes da chegada dos europeus à América, já estaria disseminado, como cultivo alimentar, até a Mesoamérica (Guatemala, México). Espalhada para diversas partes do mundo, tem hoje a Nigéria como seu maior produtor.

Benefícios:

1. Ajuda a manter os ossos saudáveis e a controlar os impulsos nervosos;

2. Possui carboidratos, tendo alto valor energético e não contém proteínas. Ela é rica em sais minerais, como o cálcio, ferro e fósforo. Além de possuir vitaminas do complexo B e grandes quantidades de potássio;

3. É uma excelente fonte de fibras vegetais, que ajudam no bom funcionamento do intestino;

4. É rica em amido. Uma grande vantagem é que não possuem glúten, podendo ser consumida por pessoas portadoras de doenças celíacas (que tem intolerância ao glúten);

5. Além das funções nutricionais, a mandioca pode ser utilizada para o tratamento externo deartrite, edemas e abscessos;

6. O consumo dessa raiz também ajuda na produção de serotonina (neurotransmissor responsável pela sensação de bem estar) no nosso cérebro.

Nabo:
O nabo (Brassica Napus L.) é o nome dado a uma planta crucífera (da família das couves) de

raiz tuberosa e folhas comestíveis. É uma planta rica em cálcio e possui poucas calorias. À planta em flor comercializada é dado o nome de grelos-de-nabo e sem flor de nabiça. É utilizado como guarnição ou própria “matéria-prima” para alguns pratos, principalmente orientais.

Não se sabe quando se começou a consumir nabos. Alimento comum entre os gregos e os romanos, o nabo há muito se tornou uma comida popular na Europa setentrional.

Os nabos são de fácil cultivo. São ideais para hortas domésticas; as sementes podem ser plantadas em carreiras diretamente no solo. Os horticultores costumam desbastar as plantas, de forma a deixar um espaçamento de 5 cm entre as mudas. A safra atinge o ponto de colheita em dois meses. A colheita pode ser estocada a temperaturas frescas.

Com frequência os nabos são atacados por pulgões, que podem ser controlados pulverizando-se as plantas com sulfato de nicotina.

As folhas do nabo constituem um excelente alimento. Apresentam um alto teor de vitamina A, do complexo B e de vitamina C. São saborosas e suas fibras contribuem para regularizar o funcionamento intestinal.

Beneficios:

Sua função é aguçar o paladar, melhorar a digestão e prevenir contra o câncer. Além disso, é rico em vitaminas A e C, bom para a tosse, e suas folhas e talos são usadas na prevenção da osteoporose e no combate à anemia.

♦ Rico em sais minerais como cálcio (mineral fundamental para a formação dos ossos e dentes), ferro, potássio, zinco e cobre

♦ O nabo tem propriedades diuréticas e as fibras ajudam a controlar os níveis de colesterol no sangue.

♦ É rico em celulose, que estimula a ação dos intestinos.

♦ Contêm fibras que ajudam o trânsito intestinal e as pessoas que querem manter o corpo em forma. Rico em vitaminas B e C, o alimento ajuda a conservar a saúde do sistema imunológico e o bom funcionamento do sistema nervoso.

♦ Contém também substâncias conhecidas por heterosídeos, que têm propriedades anticancerígenas.

Yacon:
O yacon (Smallanthus sonchifolius) é uma planta originária da Cordilheira dos Andes cujas


folhas e tubérculos são consumidos na forma natural em diversos países da América Latina. Seu consumo é feito há milhares de anos pelosincas. O yacon é mais conhecido como batata yacon e tem sido produzida no interior de São Paulo. Atualmente as batatas já podem ser encontradas em diversos países da Europa, tornando-se importante alimento funcional. Conhecida como batata do diabético, a batata yacon é empregada no tratamento de colesterol alto e de diabetes, pois os tubérbulos contém frutano, tipo de açúcar não absorvido pelo trato digestivo. Ao contrário da batata doce e da inglesa, a batata yacon não deve ser frita, nem cozida. Ela é consumida crua, como uma fruta, ou na forma de suco. A batata yacon costuma ser plantada em terra fofa e em altitudes elevadas. Sua raiz necessita de muita água.

Embora em escala bem menor que as batatas, na América do Sul as folhas de yacon são popularmente consumidas na forma de infusão para tratamento de diabetes, sendo que um pesquisador argentino revelou sua ação hipoglicemiante em ratos . Entretanto, as folhas não possuem futanos, substâncias típicas de partes inferiores de plantas, mas sim diversosditerpenóides e lactonas sesquiterpênicas . As lactonas sesquiterpênicas são bastante conhecidas por seu largo espectro de ações biológicas e por sua ação tóxica através de consumo oral . Embora algumas destas lactonas das folhas do yacon apresentem ação anti-inflamatória in vitro , estudos in vivo ainda são necessários. Entretanto, estudo recente revela que há fortes evidências de que tais substâncias são as que mais contribuem para provocar os danos renais observados após o consumo oral do chá das folhas desta planta em animais por um período prolongado. Em suma, o uso oral das folhas do yacon não deve ser estimulado.

Beneficios:
Auxilia na taxa de colesterol do sangue
Desintoxicante;
Inibe o apetite;
Fortalece a musculatura;
Reforça o sistema imunológico
Previne contra derrames e ataques cardíacos;
Controla a pressão arterial;
Promove sensação de bem estar;
anti celulite e estrias.

Fontes bibliográficas:
http://www.seucorpoperfeito.com.br/
http://www.istoejapao.com/
http://www.mundodastribos.com/
http://www.remedio-caseiro.com/
http://www.tuasaude.com/
http://pt.wikipedia.org/