IMPOSTÔMETRO:

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER --

ANÚNCIO:

ANÚNCIO:

domingo, 25 de setembro de 2016

AVC, por que falar nisto?

Estamos no mês de outubro, onde existe uma grande e importante campanha no nosso país – OUTUBRO ROSA – de combate ao Câncer de mama. Mas não podemos deixar de falar também que no dia 29 de outubro – comemora-se o DIA MUNDIAL DE COMBATE AO AVC – doença que mais mata no Brasil e no mundo. E quando não mata, sempre deixa sequelas graves e que dificultam muito a vida do paciente. É de fundamental importância divulgar esta data, o que ela representa e a seriedade desta doença, tão pouco divulgada. Entenda um pouquinho sobre o cérebro e sobre o ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL!

Cérebro

Parte do encéfalo, formada pelo par de hemisférios cerebrais, separados por um rego central. Nas aves e nos mamíferos, é a maior e mais desenvolvida parte do encéfalo. É coberta por uma camada de matéria cinzenta pregueada, o córtex cerebral, que é sede das funções cerebrais superiores, como a fala e a memória. O cérebro coordena toda a atividade voluntária.

Em 2001, depois de 35 anos de evidências experimentais, ficou provado que o cérebro pode produzir novos neurônios ao longo da vida e estas novas células têm capacidade para se integrarem na formação de novas memórias. Nas três últimas décadas, multiplicaram-se estudos e provas de que os cérebros dos vertebrados, uma categoria que engloba animais desde os anfíbios aos seres humanos, continuam a produzir neurônios novos ao longo da vida. O que não se sabia exatamente era se esta novas células nervosas se envolviam ou não na formação de memórias. Esta nova descoberta pode ter implicações positivas na recuperação de pacientes, depois de um acidente vascular cerebral ou de outro trauma grave que afecta o cérebro, se se tornar possível controlar o processo.

No mesmo ano, também foram identificadas as zonas do cérebro onde estão localizadas as células indiferenciadas ou estaminais. Estas células têm potencialidade para se tornarem nos mais de duzentos tipos de células que compõem um ser humano. Os cientistas depositam muitas esperanças nestas células dado que, se aprenderem a controlá-las, poderão servir para tratar doenças como a esclerose múltipla, danos irreversíveis na espinal medula e no cérebro, problemas cardíacos, diabetes, a doença de Alzheimer ou a de Parkinson.

Estas células encontram-se sobretudo nos embriões e apenas algumas sobrevivem nos tecidos adultos, no cérebro e na medula óssea, por exemplo, mas já com algum grau de especialização. Por isso, os cientistas têm apostado mais nas células indiferenciadas embrionárias, que comandam a formação do novo ser. Dado que a clonagem de embriões levanta muitos problemas éticos – e essa é uma maneira fácil de obter de obter células indiferenciadas embrionárias, os cientistas têm procurado alternativas.

Constante aprendizagem

Em 2001, psicólogos americanos afirmam que o cérebro está em constante aprendizagem. A exposição repetitiva a que o ser humano se encontra a objetos, têm um grande efeito no cérebro. A investigação mostra que em relação a processos visuais básicos, o cérebro nunca descansa. A questão que surge é se a aprendizagem de tarefas mais complexas é mais fácil sem prestar atenção. Os resultados evidenciam igualmente que não se pode separar informação irrelevante e indesejada.
Algumas características de um objeto, como um movimento ou uma cor, tornam os neurônios negativamente «confusos». A aprendizagem subliminal, pode harmonizar estes neurônios, tornando-os especialmente sensíveis a uma direção em particular.

O AVC , o que é suas consequências:


O Acidente Vascular Cerebral caracteriza-se com início agudo de um déficit neurológico, diminuindo funções motoras, ocorre quando o fluxo sanguíneo que abastece o cérebro e região encefálica é interrompido, devido a entupimento nas veias AVC Isquêmico ou sangramento AVC Hemorrágico, surgindo dai o nome ¨Derrame¨. As células cerebrais são privadas de receberem oxigênio e nutrientes essenciais, em consequência alguns neurônios podem morrer e ocasionar lesões cerebrais ou sequelas leves (perda de forças nos membros), transitórias (retorno das funções), graves (paralisia parcial), severas (paraplegia) muito severas (tetraplegia) ou até a morte.


O AVC isquêmico, portanto, nada mais é que um infarto de uma região do cérebro causado por um trombo que se forma em uma artéria cerebral ou por um êmbolo formado em algum lugar do corpo, que viaja na corrente sanguínea até se alojar em uma artéria do cérebro. 

Sintomas do Acidente Vascular Isquêmico:



. Perda repentina da força muscular e/ou visão,

. Dificuldade de comunicação oral,

. Formigamento num dos lados do corpo,

. Alterações da memória e Tonturas.

Algumas vezes, esses sintomas podem ser transitórios – Ataque Isquêmico Transitório (AIT), ocorre quando os sintomas do AVC desaparecem com menos de 24 horas após o seu início. O AIT é um derrame incompleto, que ocorre quando a isquemia consegue ser revertida espontaneamente antes que ocorra o infarto da região acometida.

Quem teve um AIT apresenta elevado risco de apresentar um AVC futuramente e deve ser seguido de perto por um neurologista.



O AVC hemorrágico costuma ser um quadro mais dramático que o AVC isquêmico por atingir quase sempre uma área cerebral maior. O crânio é uma caixa fechada que não tem capacidade de se expandir. Quando há grande hemorragia, o sangue vaza para o cérebro e forma hematomas que começam a comprimi-lo em direção à calota craniana. Esta compressão do cérebro contribui ainda mais para lesão dos neurônios e o risco de morte. 


Existem dois tipos de AVC hemorrágico: hemorragia intracerebral e hemorragia subaracnóide.



A primeira, como o próprio nome diz, ocorre quando o sangramento se localiza dentro do cérebro. Já a hemorragia subaracnóide ocorre quando o sangramento se dá entre o cérebro e a meninge (membrana que cobre o cérebro).

O AVC hemorrágico, principalmente o intracerebral, costuma ter prognóstico ruim. A mortalidade chega a ser superior a 50% e apenas cerca de 10% ficam sem sequelas. Quando há grandes hemorragias e perda de consciência, a taxa de mortalidade chega a 90%.

Sintomas do Acidente Vascular Hemorrágico:
. Dor de cabeça,

. Edema Cerebral,

. Aumento da pressão intracraniana,

. Náuseas e vômitos,

. Déficits neurológicos semelhantes aos provocados pelo acidente vascular isquêmico


Tratamento

Acidente vascular cerebral é uma emergência médica. O paciente deve ser encaminhado imediatamente para atendimento hospitalar. Não se recomenda oferecer nenhum tipo de medicamento nem alimentos. Trombolíticos e anticoagulantes podem diminuir a extensão dos danos. A cirurgia pode ser indicada para retirar o coágulo ou êmbolo, aliviar a pressão cerebral ou revascularizar veias ou artérias comprometidas. 


Infelizmente, células cerebrais não se regeneram nem há tratamento que possa recuperá-las. No entanto, existem recursos terapêuticos capazes de ajudar a restaurar funções, movimentos e fala e, quanto antes começarem a ser aplicados, melhores serão os resultados.






A Hora de Ouro do AVC

A Janela terapêutica para o tratamento com trombolíticos, que age dissolvendo coágulos, em caso de AVC Isquêmico, é de até 4:30h do 1º sintoma, portanto quanto mais cedo chegar ao Hospital melhor:

Chegando até 1:00h:
de cada 2 pessoas – 
1 fica sem sequelas
Chegando até 1:30h:
de cada 4 pessoas – 
1 fica sem sequelas
Chegando até 3:00h:
de cada 7 pessoas – 1 fica sem sequelas
Chegando até 4:30h:
de cada 14 pessoas – 1 fica sem sequelas


Lembre-se sempre “Tempo perdido é cérebro perdido”


As dicas a seguir podem ajudar muito, fique sempre atento:

Para agir rapidamente é fundamental a identificação dos sintomas, se houver um destes, ligue SAMU – 192, ou leve ao maior hospital de sua cidade. Faça o teste:

1 – Perda de forças nos braços ou pernas: Peça para levantar os braços se um deles cair ou não conseguir ficar de pé.

2 – Face paralisada ou torta em um dos lados: Peça para sorrir, se um dos lados da face parecer caída, sem movimento.

3 – Dor de cabeça súbita e vômito: 
Se as queixas de dor de cabeça intensa persistirem e for seguida de muito vômito.

4 – Fala confusa e enrolada:. 
Peça para falar uma frase: ¨O Brasil é o país do futebol¨, se a fala sair arrastada ou sem sentido.


Fonte: Amavc – Associação Mineira do AVC – www.amavc.com