IMPOSTÔMETRO:

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER --

ANÚNCIO:

ANÚNCIO:

domingo, 29 de maio de 2016

Tipos de Alimentos -- Alimentos e suas funções

Tipos de Alimentos
Tipos de Alimentos
Tipos de Alimentos

ALIMENTOS E SUAS FUNÇÕES

Os alimentos podem ser classificados em construtores, energéticos e reguladores, dependendo da quantidade de determinadas substancias que eles possuem.
Alimentos Construtores são aqueles que contêm uma grande quantidade de proteinas.
A função dos alimentos que possuem grande quantidade de proteínas é ajudar na formação das pequenas partes que, quando unidasm consistem o nosso corpo.
Exemplos de alimentos construtores:
leite, ovo, soja, feijão, ervilha, frango, carne de boi e de frango.
Alimentos energéticos são aqueles que contêm uma grande quantidade de açucares e/ou lipídios (olho ou gordura).
A função dos alimentos energéticos é fornecer energia para o bom funcionamento do corpo.
Assim o desgaste que o organismo tem com o trabalho, o estudo, os exercícios físicos, entre outras atividades, é reposto pelos alimentos energeticos.
Exemplos de alimentos energinéticos: Mel, uva, beterraba e batata.
Exemplos de alimentos energéticos ricos em lipídios:
Manteiga, queijo, margarina, óleo de soja, de milho e de algodão.
Alimentos reguladores são aqueles que contêm uma grande quantidade de vitaminas e/ou sais minerais.
A função desses alimentos é regular o bom funcionamento do corpo e torná-lo mais resistentes às doenças.
Exemplo de alimentos reguladores ricos em vitaminas: Frutas e verduras.
Exemplos de alimentos reguladores ricos em sais minerais: Água, sal, queijo, figado de boi e peixe.
Note bem:
Os alimentos são classificados em construtores, energéticos ou reguladores pelo fato de possuirem algumas substâncias em maior quantidade.
Entretando, a maioria dos alimentos possuem ao mesmo tempo proteínas, açucares, lipídios, vitaminas e sais minerais.
Fonte: cienciasefisica.com
Tipos de Alimentos
alimentação saudável é uma grande aliada para viver-se mais e melhor. Quem tem preocupação com a saúde não tem como esquecer de caprichar nas escolhas dos alimentos. Atualmente vivenciamos uma grande transição alimentar, onde deixou-se de consumir alimentos naturais para sermos bombardeados de alimentos industrializados, com conservantes, aromatizantes, agrotóxico e etc. Mas a matéria-prima para o nosso organismo funcionar adequadamente são os nutrientes, que infelizmente estão sendo esquecidos na alimentação moderna. Nada como uma quantidade adequada de vegetais e frutas para ajudar o nosso corpo excretar tudo o que não presta. Mas atualmente são minorias na mesa da população, o que faz aumentar o risco de contrair doenças.
A alimentação saudável não é só salada com peito de frango grelhado. Existe uma combinação deliciosa de alimentos. Basta estar aberto para conhecer mais sobre eles e ter vontade de fazer uma mudança de comportamento alimentar. Mas qual será o grande segredo daReeducação Alimentar?
Primeiro faremos um teste. Pegue um papel e coloque em tópicos o que você considera ser uma alimentação saudável. Em seguida compare seu conhecimento com o texto a seguir.
Você provavelmente irá verificar que parte do conhecimento você tem; mas, o que você realmente coloca em prática do que você sabe? Não adianta apenas saber, precisa trabalhar uma mudança de comportamento. Isso não significa que você nunca mais comerá a fritura ou a guloseima, mas após ler o texto, terá conhecimento para entender como equilibrar a sua alimentação do dia a dia.
Fazendo o correto de 5 a 6 vezes na semana, não terá tantos prejuízos para a saúde ao escolher um abuso na semana, ou seja, apenas um abuso no dia e não um dia de abusos. Pense nisso! Aposto que você respondeu ao teste proposto dizendo que uma alimentação saudável tem frutas, verduras e legumes. Mas será que só esses alimentos são suficientes para termos uma alimentação saudável?
Eu respondo que não. Ter uma Alimentação Saudável significa que precisamos consumir em quantidades adequadas todos os grupos alimentares. Para isso contamos com a Pirâmide Alimentar, nosso guia alimentar.
Na base da Pirâmide encontramos os carboidratos que são responsáveis por trazer energia ao nosso corpo. É essencial consumir esse grupo no café da manhã, almoço e jantar. Caso contrário afetará no rendimento e disposição ao longo do dia. Pão, massa, cereais, milho, mandioca, mandioquinha, bolachas, alimentos integrais são exemplos de carboidratos. Sempre devemos preferir os carboidratos complexos que são os alimentos integrais porque além de trazer energia, eles possuem vitaminas, minerais e fibras. As fibras irão ajudar na regulação do intestino, controle de gorduras ruins no sangue e liberar o açúcar no sangue aos poucos, o que colabora com a prevenção da Diabetes tipo 2.
Na segunda linha da Pirâmide encontramos os alimentos reguladores e protetores do organismo. Precisamos de 4 a 5 porções de vegetais por dia para evitarmos doenças crônicas e alguns tipos de cânceres. Contamos como 1 porção sendo 1 pires, portanto precisamos de no mínimo 1 prato de salada crua e 1 pires de vegetais cozidos no almoço e no jantar. É muito importante variar as cores dos vegetais. Quanto mais colorido, mais nutritiva será a refeição.
Nessa mesma linha temos as frutas. Para uma pessoa sem Diabetes é necessário de 3 a 5 porções de frutas por dia. Mas preste atenção ! Não devemos consumir frutas à vontade. Elas são ótimas para a saúde, mas possuem açúcares que em excesso podem contribuir para o aumento de peso. É importante variar os tipos de frutas e não consumir duas porções de frutas juntas. Contamos como 1 porção como 1 xícara da fruta picada, sendo ½ xícara no caso da manga e do abacate ou 1 fruta inteira do tamanho da mão fechada como a maça, a pêra, a goiaba. Lembrem-se que o suco conta como fruta, excluindo o de limão e o maracujá que são super diluídos.
Na terceira linha da pirâmide alimentar encontramos as proteínas que são importantes para a constituição dos nossos tecidos. Precisamos 2 porções de carnes ao longo do dia. Devemos escolher de 2 a 4 porções de carnes vermelhas na semana, 2 de peixes, o frango de preferência o peito, e o ovo podemos consumir de 3 a 4 unidades na semana. Em relação ao grupo dos  leites e derivados precisamos de 3 porções por dia, não podendo ser consumido no almoço e jantar. Em relação à proteína vegetal precisamos de 1 a 2 porções por dia, que pode ser o feijão ou a soja ou a lentinha ou o grão de bico por exemplo.
No topo da pirâmide encontramos as gorduras. Precisamos de 1 a 2 porções por dia. Ela é importante por ser precursoras dos nossos hormônios, protegerem o corpo contra choques mecânicos e controlam a temperatura do nosso organismo. Leiam no tópico de gorduras a diferença entre gorduras boas e ruim para fazer uma melhor escolha. E em relação aos temidos doces podemos consumir esporadicamente. Precisamos evitar aqueles que vão creme de leite, leite condensado, farinhas e açúcares. De preferência matar a vontade com doces de compotas de frutas, frutas secas e oleaginosas.
Concluindo, para termos uma alimentação saudável devemos seguir a pirâmide alimentar, assim além de controlar o peso estaremos bem nutridos e mais resistentes para enfrentar o dia a dia.
Cristiane Mara Cedra
Fonte: www.anutricionista.com
Tipos de Alimentos

Alimentos, Origem e Classificação dos Alimentos

O significado de Alimento se dá a tudo aquilo que entra no nosso organismo para dar energia, crescimento, manutenção, reparo, reprodução e excreção. Os alimentos que consumimos tem origem vegetal ou animal.
A Origem dos alimentos se dá:
1 – gramíneas ( arroz, trigo, milho)
2 –
 leguminosas (feijão, soja)
3 – t
ubérculos (batata inglesa, inhame, mandioca)
4 –
 plantas de que se obtém o açúcar ( cana-de-açúcar, beterraba, milho)
5 – 
verduras e frutas.
A carne é o principal alimento de origem animal. Os animais além de fornecerem carne, fornecem o leite e seus derivados. Aves e coelho e peixes  são fontes de carne
A Classificação dos alimentos se dá em cinco grupos:
1 – Grupo dos alimentos energéticos: óleos, gorduras, açúcares, cereais, tubérculos.
2 – Grupo dos alimentos protéicos:
 leite e derivados, pescado, gelatina, carnes e ovos.
3 – Grupo dos alimentos ricos em vitaminas e elementos orgânicos: 
frutas e verduras.
4 – 
Grupo das bebidas.
5 – 
Grupo dos condimentos.
Temos necessidades de ingerir os alimentos para sobreviver e saciar a fome. A fome resulta da inadequada ingestão de calorias. Por exemplo se comemos muito pão sem uma proteína logo sentiremos fome. A alimentação tem que ser balanceada e completa para sustentar e nos alimentar.
A nossa alimentação deve ser composta por vários alimento, observamos o quadro com os alimentos. Consumir adequadamente as proteínas, vitaminas e sais minerais. Faça uma boa alimentação diariamente.
Fonte: www.not1.com.br
Tipos de Alimentos

Como ter uma alimentação saudável

Ninguém tem dúvida que a alimentação saudável tem papel fundamental na manutenção e recuperação da saúde. Então porque as pessoas estão se alimentado tão mal nos últimos tempos? Será por falta de conhecimento ou porque ainda sobrevive o tabu de que uma alimentação saudável não é prazerosa. Nesse artigo você verá que ter uma alimentação saudável poder ser sim muito fácil e acima de tudo muito prazeroso.
Na alimentação equilibrada nada é proibido, mas tudo dever ser quantificado e respeitando as leis básicas da alimentação saudável: variedade, moderação e equilíbrio.
Variedade: é importante comer diferentes tipos de alimentos pertencentes aos diversos grupos respeitando as quantidades necessárias para cada indivíduo.
Moderação: não se deve comer nem mais nem menos do que o organismo precisa; é importante estar atento à quantidade certa de alimentos.
Equilíbrio: quantidade e qualidade são importantes; o ideal é consumir alimentos variados, respeitando as quantidades de porções recomendadas para cada grupo de alimentos. Ou seja, “comer de tudo um pouco”.

O QUE É CALORIA?

Caloria é a energia que o nosso corpo utiliza que vem dos alimentos. As calorias são calculadas a partir da quantidade de gorduras, proteínas e carboidratos presentes nos alimentos.
A quantidade de calorias que cada pessoa precisa depende de alguns fatores como: idade, peso, quantidade de atividade física e funcionamento do corpo.
As calorias oferecidas pela alimentação são fornecidas pelos macronutrientes: carboidratos, proteínas e gorduras.
CARBOIDRATOS: São componentes do alimento que fornecem parte da energia necessária para o crescimento, desenvolvimento e manutenção da nossa saúde. Estão presentes nas massas, arroz, açúcar de mesa, mel, pães, frutas, farinhas, tubérculos e doces em geral. Cada grama de carboidrato fornece 4 kcal.
PROTEÍNAS: 
São componentes do alimento necessários para construção dos nossos órgãos, tecidos, células etc. Podemos encontrá-las nas carnes, ovos, leites e derivados e feijões. Elas também podem fornecer energia. Cada grama de proteína = 4 kcal.
GORDURAS: 
São componentes dos alimentos que fornecem energia ao organismo. As gorduras ou lipídios podem ser de origem vegetal ou animal. As gorduras estão presentes nos óleos vegetais, manteiga, queijo, carnes, leite, ovos e pães entre outros alimentos.Cada grama de gordura fornece 9kcal.

Grupo dos pães, cereais, massas, tubérculos e raízes

Os pães, o arroz, o milho, a mandioca, os biscoitos salgados e a batata são exemplos de alimentos que compõem esse grupo e fornecem um nutriente chamado carboidrato complexo. Devem ser consumidos em maior quantidade durante o dia, pois oferecem a energia necessária para o corpo desempenhar as atividades diárias, como andar, ler e falar. Para uma pessoa adulta o número de porções varia de 5 a 9, dependendo do sexo, idade, prática de atividade física, etc.

Grupo das hortaliças e frutas

Os alimentos desse grupo são importantes para a manutenção da saúde, pois oferecem fibras, vitaminas e minerais. Os exemplos desse grupo são todas as frutas e hortaliças. Esses alimentos também devem ser consumidos em grande quantidade durante o dia. O consumo de hortaliças deve ser de 4-5 porções e o de frutas de 3 a 5 porções.

Grupo do leite, derivados, carnes, ovos e leguminosas

Nesse grupo, todos os alimentos são ricos no nutriente chamado proteína. A proteína faz parte da composição do corpo, sendo fundamental no crescimento e manutenção da pele, dos ossos, do cabelo, das unhas, etc. Exemplos de alimentos desse grupo são leite, queijos, iogurte, carne bovina, peixes, ovos, feijão, ervilha e soja. Os leites e derivados também são ricos no mineral cálcio, responsável pela sustentação dos ossos e contração dos músculos do corpo. Esses alimentos e as carnes devem ser consumidos diariamente, mas com moderação, por apresentarem uma quantidade de gordura saturada agregada. O consumo de leite e derivados deve ser de cerca de 3 porções ao dia, o de carne e ovos de 1 a 2 porções e leguminosas 1 porção. Lembre-se que o número de porções pode varias de acordo com as necessidades individuais.

Grupo dos açúcares e gorduras

Os alimentos desse grupo como chocolate, doces, sorvetes, balas, chicletes e refrigerantes são ricos em açúcar, também chamado de carboidrato simples. A margarina, manteiga, óleos vegetais, frituras, salgadinhos em pacote também fazem parte deste grupo por serem ricos em gordura. Tanto o açúcar quanto a gordura contribuem para o aparecimento de diversas doenças, como obesidade, doenças cardiovasculares, hipertensão e diabetes. Por isso, esses alimentos devem ser consumidos esporadicamente, em menor quantidade que os alimentos dos demais grupos.
Fonte: www.acmbrasilia.com.br
Tipos de Alimentos

Dez Tipos de Alimentos Capazes de Agravar a Gastrite

Eles irritam as paredes do estômago e pioram a inflamação. Quem sofre com a gastrite sabe bem o quanto incomoda a queimação, o aperto, a cólica e o estufamento que vira e mexe teimam em aparecer.  Todas essas sensações fazem parte deste quadro inflamatório. O desconforto aparece, principalmente, na parte mais alta da barriga, na boca do estômago.  Muitas pessoas, por desinformação sobre a doença, agravam os sintomas com uma alimentação inadequada e nem se dão conta do quanto que a comida pode irritar a mucosa gástrica. Alguns alimentos favorecem a secreção de ácido gástrico e, por isso, devem ser ingeridos com cautela, pois agridem as paredes do estômago. 
A seguir, veja quais são eles e saiba por que evitá-los: 
1.Produtos ricos em corantes e conservantes, como sucos em pó e salgadinhos
"Uma vez instalada a inflamação, esses condimentos tem um grande potencial de agravar ainda mais o quadro, pois causam a irritação da mucosa gástrica", afirma a nutricionista Amanda Epifânio, do Centro Integrado de Terapia Nutricional (Citen).
2. Gomas de mascar. Chicletes, com ou sem açúcar, também são nocivos
O estômago se prepara para receber o alimento sempre que mastigamos algo. Esse preparo envolve a produção de uma quantidade adequada de ácido para o processo digestivo. "Com a chegada do alimento, esse ácido desempenha sua função e não é lesivo à parede gástrica. Mas, ao mastigar a goma de mascar, o estômago é 'enganado'. Não ocorre a chegada de alimento na cavidade gástrica e, portanto, a quantidade de suco gástrico produzido pode ferir o estômago e fazer a gastrite atacar", adverte a nutricionista Amanda Epifânio.
3. Frituras e embutidos, como os salgadinhos de festa, salsicha, salame e mortadela
O efeito dos embutidos está associado à quantidade de corantes e conservantes que esses alimentos contêm, causando irritação da parede do estômago. Com as frituras, o processo é muito semelhante. "Preparações fritas, principalmente, de óleos reutilizados, causam grande irritação gástrica e agravam os sintomas da gastrite. Isto acontece porque eles produzem substâncias oxidantes que agravam a irritação gástrica", afirma Amanda Epifânio. Entretanto, essa irritação não se restringe apenas às frituras encharcadas. "As frituras sequinhas, com aparência inofensiva, são, em geral, fritas em gordura hidrogenada ou trans. Essa qualidade de gordura é a que mais irrita o estômago e tem um potencial de aumentar ainda mais a inflamação", conclui a especialista.
4. Carnes vermelhas
O estômago é responsável apenas pela digestão de alimentos protéicos, como as carnes, induzindo ainda mais a liberação das enzimas digestivas e podendo agravar a inflamação. Segundo a nutricionista Amanda Epifânio, além das proteínas, as gorduras presentes em alguns cortes de carne, como a picanha, tornam a digestão mais lenta, deixando o alimento parado no estômago por um período maior, piorando assim os sintomas gástricos.
5. Leite e seus derivados, como iogurte, manteiga, requeijão e queijos
O leite e seus derivados fazem parte dos alimentos protéicos, e a alteração digestiva é semelhante à das carnes. Seu consumo nunca deve ser utilizado na tentativa de melhorar a dor gástrica, pois haverá uma melhora imediata em resposta à chegada de alimento no estômago, mas o agravamento da gastrite virá logo em seguida.
6. Açúcar e doces, como bolos, biscoitos recheados, sorvete e balas
O açúcar tem uma rápida digestão, podendo aumentar a fermentação intestinal e causar o desconforto gástrico. "As balas têm função semelhante a das gomas de mascar e os sorvetes, por serem à base de leite e ricos em gorduras, agravam ainda mais a gastrite", explica Amanda.
7. Condimentos fortes, como pimenta, temperos prontos, molho shoyu, catchup, mostarda
Ninguém em sã consciência colocaria uma gota de pimenta em uma ferida exposta, não é mesmo? O mesmo vale para o nosso estômago. "Na gastrite, há um processo inflamatório e o consumo de pimenta poderá ferir ou agravar a lesão inicial. Os demais molhos são ricos em conservantes e condimentos que também pioram o quadro", adverte a especialista
8. Cafeína, presente no café, nos chás preto e mate e nos refrigerantes à base de cola
Esta substância é um potente irritante gástrico e deve ser evitada durante o tratamento da gastrite.
9. Frutas cítricas, como laranja, mexerica, limão, maracujá, abacaxi e kiwi
De acordo com a nutricionista Amanda Epifânio, o teor de acidez das frutas cítricas pode agravar a lesão gástrica e causar dor.
10. Bebidas alcoólicas
O álcool também é extremamente agressivo à mucosa estomacal. Ele pode causar e/ou agravar um estado de inflamação.
Fonte: www.gastroecirurgia.com