IMPOSTÔMETRO:

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER --

ANÚNCIO:

ANÚNCIO:

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Os meios de transporte

Os meios de transporte

Os meios de transporte são, ao lado das fontes energéticas, os principais elementos que constituem a infraestrutura de um território. Isso significa dizer que o desenvolvimento de qualquer país ou região perpassa pelo desenvolvimento de um sistema de transporte eficiente e articulado, que permita a rápida locomoção de matérias-primas, bens industriais e, principalmente, mercadorias para consumo interno ou para exportação. Não obstante, os transporte integram aquilo que chamamos por custo-país, que é o custo que se tem para produzir, de modo que, quanto menor esse gasto, maior a capacidade de desenvolvimento do país em questão.
O desenvolvimento da industrialização em todo mundo demandou uma maior atuação dos sistemas de transporte, afinal, para se produzir é necessário receber rapidamente as matérias-primas e, após transformá-las em mercadorias, direcioná-las o quanto antes ao mercado consumidor. Portanto, os meios de transporte estão no cerne dos sistemas de objetos e de ações que constituem o processo de produção e transformação do espaço geográfico.
Existem, assim, diferentes tipos de transporte, que chamamos por modais, a saber: o rodoviário, o ferroviário, o hidroviário, o marítimo e o aéreo. A seguir, temos um resumo das características principais de cada um desses sistemas.

TRANSPORTE RODOVIÁRIO

Transporte Rodoviário
Transporte Rodoviário – Rodovia dos Bandeirantes, São Paulo, Brasil
As rodovias consistem na utilização de estradas pavimentadas ou não para o deslocamento de veículos terrestres, notadamente os automóveis e os caminhões, para propiciar um fluxo de pessoas e mercadorias. Em quase todos os países em que as redes rodoviárias de complexa estrutura se desenvolveram, o processo esteve associado à maior atuação da indústria automobilista, o que inclui o caso brasileiro. O nosso país, como se sabe, é majoritariamente composto por rodovias, em razão da necessidade ou interesse do governo brasileiro ao longo do século XX em atrair os investimentos das indústrias de veículos. Ao mesmo tempo, a utilização desse modal também intensifica o mercado de combustíveis derivados do petróleo, como a gasolina e o diesel, e, mais recentemente, dos biocombustíveis, como o etanol e o biodiesel.
Por outro lado, o uso excessivo ou preferencial desse modal de transporte pode trazer alguns pontos negativos e elevar o custo-país, pois os gastos com o deslocamento são maiores e a eficiência do transporte de cargas é menor. A título de comparação, um caminhão com um litro de óleo diesel transporta cerca de 30 toneladas de carga por quilômetro, ao passo que um trem com a mesma quantidade de combustível, transporta cerca de 125 toneladas; as hidrovias, por sua vez, chegam a transportar uma média de 575 toneladas nessas mesmas condições. Soma-se a esses fatores o fato de os custos com manutenção das rodovias serem maiores e de mais frequente necessidade do que os demais modais citados.

TRANSPORTE FERROVIÁRIO

Transporte Ferroviário
Transporte Ferroviário – Autor: Bernd Untiedt
O transporte ferroviário ocorre a partir de linhas férreas e constitui-se pelas locomotivas a vapor e também pelos metrôs. Embora os custos para a construção de ferrovias seja elevado, a sua manutenção é mais barata e, como já comentamos acima, possuem uma maior eficiência a um menor custo em comparação com as rodovias. Por esse motivo, as ferrovias são mais recomendadas para transporte de cargas em maior volume, tanto produtos agrícolas quanto cargas com grande peso. Até o século XX, o trem a vapor era o meio de transporte mais moderno que se tinha notícia e, ainda hoje, exerce uma importante função em todo o mundo.
Muitos países de dimensões continentais fazem um grande uso das ferrovias, a exemplo dos Estados Unidos, do Canadá e da Austrália, uma vez que elas são capazes de integrar grandes distâncias terrestres. No Brasil, embora a política rodoviarista tenha contribuído para o abandono de muitas ferrovias, elas também exerce a função de transporte de cargas, principalmente grãos. Aliás, há um consenso de que, para o país melhor se desenvolver, ele precisa aumentar a infraestrutura ferroviária a fim de se intensificar a eficiência em exportações e no escoamento da produção.

TRANSPORTE HIDROVIÁRIO E MARÍTIMO

Transporte Hidroviário e Marítimo
Transporte Hidroviário e Marítimo – Autor: Macieklew
Os dois meios de transporte aquáticos são o marítimo, que utiliza o mar e os oceanos, e o hidroviário ou fluvial, que opera em rios.
Em países de elevada extensão territorial e formados por um grande rede hidrográfica, há uma grande vantagem na utilização do transporte hidroviário por representar mais eficiência e menos custos. Em rios de planície, naturalmente propícios para embarcações, os custos são mínimos pois são necessárias pouquíssimas adaptações para a realização da navegação. Já os rios de planalto, mais acidentados, demandam muitas vezes a criação das chamadas eclusas e outras obras para a adaptação e navegação, o que tem se tornado mais facilitado em razão das evoluções tecnológicas.
O transporte marítimo, por sua vez, é classificado em dois diferentes tipos: o de cabotagem, em que a navegação ocorre entre pontos costeiros ou entre um ponto da costa e um ponto fluvial, e o de longo curso, que envolve a navegação entre portos de países distintos. Esse modal, além do bom funcionamento dos navios, necessita também da melhor eficiência do sistema portuário, que capta as mercadorias em contêineres e as inserem nas embarcações. No Brasil, os problemas burocráticos e estruturais existentes deixam os portos entre os principais “gargalos” para o desenvolvimento econômico do país.

TRANSPORTE AÉREO

Transporte Aéreo
Transporte Aéreo – Autor: rob estorninho de Wymondham Norfolk, UK
O transporte aéreo é considerado como o mais avançado e, ao mesmo tempo, mais rápido e seguro modal da atualidade, transportando tanto uma grande quantidade de pessoas, quanto um imenso volume de mercadorias e objetos. É considerado um sistema flexível, pois permite o deslocamento tanto internamente a um país quanto entre diferentes nações, envolvendo grandes distâncias e localidades próximas.
O desenvolvimento do transporte aéreo em um país demanda uma melhor estrutura nos aeroportos, tanto no sentido de melhor condicionar o seu funcionamento, quanto na sua capacidade de captar um grande volume de cargas e atender as exigências técnicas. Uma outra preocupação é a de adequar sua capacidade para a realização de voos internacionais, o que é considerado um problema no espaço geográfico do Brasil, onde somente alguns aeroportos possuem voos para uma grande quantidade de destinos internacionais.
É importante considerar, sobre todos os meios de transporte, que eles possuem as suas respectivas vantagens e desvantagens. Desse modo, um correto desenvolvimento de um país perpassa não tão somente à instalação de modais que se adequem às características sociais e geológicas de seu espaço geográfico, mas também por uma integração entre os diferentes sistemas. Assim, o modelo considerado ideal é o transporte intermodal ou multimodal, aquele capaz de integrar, de maneira rápida, lógica e eficiente, todos os sistemas de transportes, sejam eles terrestres, aquáticos ou aéreos.
Por Rodolfo F. Alves Pena
Mestre em Geografia