IMPOSTÔMETRO:

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER --

ANÚNCIO:

ANÚNCIO:

sábado, 2 de julho de 2016

Mau hálito: dicas para evitar...


Hábitos do dia a dia impedem que o problema apareça

O mau hálito, mais do que um problema de saúde, é um incomodo social. "As outras pessoas percebem e isso pode trazer problemas em relacionamentos amorosos ou no trabalho", indica o odontologista Artur Cerri, consultor científico da Associação Brasileira de Cirurgiões Dentistas (ABCD).

Até porque, mesmo que fraco, é muito fácil sentir o mau hálito em relações próximas. "Existe também a chamada 'halitose da intimidade', perceptível a uma distância de 30 centímetros ou menor, em situações como um beijo, na pessoa ao lado da cadeira de cinema, no banco de trás do carro ou ainda ao conversar perto", classifica a odontologista Maria Cecília Aguiar, presidente da Associação Brasileira de Halitose (ABHA). O problema é que nem sempre a pessoa que tem halitose sente seu próprio hálito, ou seja, é preciso ter um retorno dos outros, que nem sempre sinalizam.

É preciso tomar cuidado com esse problema. Muitas vezes o mau hálito pode sinalizar um problema de saúde, no entanto ele também pode ser fruto da má higienização, entre outros hábitos. Veja a seguir algumas mudanças que evitam a halitose de aparecer:

Escove sempre os dentes
Escovar os dentes ajuda a impedir o desenvolvimento de uma das fontes do mau hálito: "o hábito ajuda a eliminar resíduos alimentares e a placa bacteriana aderida no dente. Com isso, ficam menos bactérias na boca, que são os produtores do mau hálito, e com menos fontes de alimento também para elas", considera Maria Cecília. O ideal é ter o hábito de higienizar bem a boca depois das refeições e não esquecer de usar o fio dental diariamente, já que ele que fará a remoção dos alimentos entre os dentes, como lembra a odontologista Flávia Cury.


Não esqueça de limpar a língua
Mas de nada adianta higienizar bem o dente, se a língua fica de fora da limpeza! "O alimento retido na língua, depois de uma hora sem se alimentar e com menor fluxo salivar, aumenta sua fermentação e exala mais odor", explica Flávia. Isso ocorre porque boa parte das bactérias da boca estão concentradas na língua. A higienização da língua é bem simples, pode ser feita com a escova de dentes ou com limpadores de língua e gaze, de acordo com a orientação do seu dentista.


Beba bastante água
A boca seca é um ótimo ambiente para as bactérias se proliferarem. "A saliva adequada em qualidade e quantidade favorece um bom hálito, pois auxilia na autolimpeza bucal, na cicatrização dos tecidos da boca e no combate de microrganismos (bactérias, vírus e fungos) causadores de infecções bucais e do mau hálito", descreve Maria Cecília. Beber água é uma boa forma de garantir que sua boca não ficará seca: basta entre dois e três litros ao dia. "E não espere sentir sede para beber água, torne esse ato em um hábito", frisa a especialista.
Se mesmo ingerindo bastante água a sua boca continua mais seca do que o normal, é importante consultar um odontologista. Algumas doenças e medicamentos podem causar secura na região, provocando mau hálito.


Mastigue bastante os alimentos
Outro hábito que ajuda a evitar o mau hálito é mastigar bem os alimentos. "O exercício na mastigação estimula a produção de saliva", explica Maria Cecília. Isso ocorre porque a saliva é indispensável para a mastigação ser feita adequadamente.


Alimente-se de 3 em 3 horas
Ficar muito tempo em jejum também pode causar mau hálito. "Se você fica muito tempo sem comer, o estômago produz ácido clorídrico, que sobe pelo esôfago até a boca, causando mau odor", explica o odontologista Cerri. Além disso, o acúmulo de alimentos na língua e a redução do fluxo salivar também aumentam o mau odor na boca.


Consuma alguns alimentos com moderação
Existem alimentos que sabemos que ao serem consumidos causarão um mau odor na boca: como a cebola, o alho e as bebidas alcoólicas. "Esses alimentos são chamados de aromáticos por gerarem substâncias que são absorvidas pelos intestinos e ficam circulando na corrente sanguínea, sendo filtrados pelos pulmões durante as trocas gasosas e podendo ser eliminados junto ao ar expirado. Porém, essa alteração no hálito tem o odor característico da substância consumida", diferencia Maria Cecília.
Além disso, alguns alimentos são mais facilmente decompostos na boca, o que faz com que as células trabalhem mais rápido. "Normalmente isso ocorre com os alimentos de origem animal, como carnes, aves, peixes, ovos...", ensina Cerri.


Priorize o consumo de alimentos bons para o hálito
Os alimentos ricos em fibras são amigos do hálito, pois estimulam a produção salivar, o que faz com que a boca fique mais limpa. "São exemplos as substâncias ricas em fibra, como maçã, amendoim, castanhas, granola, cenoura crua e folhagens, e as frutas cítricas como o limão e o abacaxi", lista Maria Cecília.


Evite o cigarro
Fumar também pode agravar o hálito, e não só por causa do cheiro de cigarro que o fumante exala. "O tabagismo aumenta a descamação da mucosa da boca, compromete a produção de saliva e predispõe a problemas gengivais e todos esses são fatores que podem trazer a halitose", alerta a especialista.


Vá sempre ao dentista
Muitos problemas de saúde bucal podem estar ligados ao aparecimento do mau hálito. "O excesso de tártaro, cáries, infecções também podem provocar halitose, por isso é importante ir ao dentista sempre, para que ele perceba e corrija esses problemas", destaca Flávia Cury. Além disso, quando o problema for relacionado a alguma doença ou medicamentos que ressecam a boca, o odontologista pode indicar salivas artificiais que ajudam a amenizar o mau odor.