IMPOSTÔMETRO:

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER --

ANÚNCIO:

ANÚNCIO:

domingo, 28 de agosto de 2016

10 formas prováveis de aniquilação da humanidade no futuro próximo...

O futuro quer acabar com você, por razões que não podemos sequer começar a imaginar. Se sentindo seguro agora, por trás do seu computador? Veja dez coisas que poderiam matar todos nós antes do final da década:



10. Superbactérias resistentes a antibióticos
Imagine um mundo onde um único corte no seu dedo poderia matá-lo. Um mundo onde quebrar um osso ou dar à luz poderia ser uma sentença de morte. Este é o mundo onde todos nós estaremos vivendo em 2050.
Desde que Alexander Fleming descobriu acidentalmente a penicilina, a capacidade dos micróbios de nos matar diminuiu drasticamente. Infelizmente, isso coincidiu com um aumento acentuado dos médicos charlatães prescrevendo antibióticos para cada dor de cabeça e agricultores enchendo seus animais de remédio.
Essa exposição a longo prazo a todas as classes de antibióticos tem permitido que algumas bactérias desenvolvessem resistência a estas drogas. Logo, pode ser que nenhuma delas funcione mais. A preocupação é que, em um mundo pós-antibiótico, cerca de 10 milhões de pessoas morrerão horrivelmente a cada ano. A maioria dessas mortes serão concentradas na Ásia e África, mas os países ocidentais também serão atingidos.
As empresas não estão muito interessadas em desenvolver novos antibióticos porque provavelmente nunca vão recuperar os custos disso. Se começarem a vender um novo remédio, em breve todos os micróbios vão construir defesas contra ele também, devastando qualquer margem de lucro possível. Assim, ninguém investe.


9. Uma pandemia global mortal
O surto da gripe espanhola, em 1918, foi uma das piores epidemias que o mundo já viu. Entre 20 e 50 milhões de pessoas morreram, mais do que em toda a Primeira Guerra Mundial. Um terço da população mundial ficou terrivelmente doente. Desde então, esperamos nervosamente a próxima grande pandemia.
SARS, gripe suína, gripe aviária… Foram todas causadoras de sustos compreensíveis. Ebola também deixou muita gente preocupada, embora o vírus nunca tenha sido uma grande ameaça fora do Oeste da África.
Enquanto nenhum destes vírus resultou em mortes em massa, não foi por causa de nossas habilidades de evitar pandemias. O vírus certo ainda poderia devastar o planeta em semanas. Assustadoramente, existem alguns candidatos. O mais medonho é o vírus Nipah. Uma doença que saltou de porcos para humanos na Malásia em 1999, agora tem pequenos surtos regulares em Bangladesh. Os sintomas são terríveis. Vômitos, febre e dor muscular rapidamente levam a um coma, e em seguida à morte. 70% dos infectados morrem.
A Febre do Vale do Rift é outra candidata terrível. Infectou 90.000 quenianos em 1997. Ao contrário do Ebola, pode ser transmitida por mosquitos. A rapidez com que o vírus Zika se espalhou prova o quão assustador isso é.


8. Guerra nuclear entre OTAN e Rússia
O medo de uma guerra nuclear entre os membros da OTAN e a Rússia foi ressuscitado em maio deste ano, quando Alexander Richard Shirreff, ex-vice-comandante da OTAN, delineou o que ele via como as chances de uma grande batalha entre o Ocidente e o imenso país. Sua previsão sombria é de que o mundo vai se deparar com isso até 2017.
Shirreff dá três motivos: a Ucrânia, a paranoia de Putin e a expansão da OTAN. De acordo com o ex-general, a anexação da Criméia pela Rússia em 2014 destruiu o acordo pós-Guerra Fria. Na sequência de sanções internacionais, a Rússia tornou-se cada vez mais paranoica com o que vê como o “expansionismo” da OTAN. Se a Rússia tentar anexar o resto do leste da Ucrânia e invadir os Estados bálticos, pode ser o fim, já que Estônia, Letônia e Lituânia são membros da OTAN. Terceira Guerra Mundial, de certo.
E qual é a faísca que poderia desencadear toda esta destruição? Um mero acidente já serve. Aviões russos estão se estranhando com jatos da OTAN no Báltico em uma base quase diária. No início deste ano, dois bombardeiros russos foram interceptados em direção ao Reino Unido. Se a OTAN atirar em um avião russo ou um piloto russo acidentalmente matar um militar da OTAN… Por menos já houveram guerras. Quatro das nove potências nucleares do mundo estariam envolvidas, no mínimo.


7. Guerra nuclear entre EUA e China
A única coisa mais insana do que um conflito nuclear da OTAN com a Rússia é um dos EUA com a China. Terrivelmente, é uma possibilidade.
O Mar da China do Sul é um local onde a China passou os últimos anos alegando território que países menores reivindicam para si. Isso não seria um problema global, exceto que os EUA frequentemente se aliam com esses países. Isso significa que, se a China decidir entrar no modo “construção de império”, os EUA não vão deixar barato.
Como é o caso com a Rússia e os países bálticos, ninguém realmente acha que os EUA ou a China querem uma guerra. Os dois países têm arsenais militares que garantiriam a aniquilação de enormes áreas do planeta. Mas, novamente, um único deslize em momentos de grande tensão pode acidentalmente acionar a Terceira Guerra Mundial. Recentemente, a China interceptou aviões de espionagem dos EUA sobre a região. As coisas estão se tornando tão nervosas que alguns analistas estão prevendo uma possível guerra já em 2018.


6. Superinteligência Artificial
A ideia de que as máquinas se tornarão muito mais inteligentes do que nós e nos destruirão parece louca, mas um monte de pessoas incríveis se preocupa com ela. Stephen Hawking, por exemplo, pensa que a IA poderia acabar com a humanidade. Elon Musk concorda, a ponto de investir bilhões para garantir que a IA seja o mais amigável possível.
Mas o problema é que nós simplesmente não podemos dar conta de todas as variáveis. Podemos acabar criando algo além do nosso controle. Quando uma máquina atingir a inteligência de nível humano, não deve ter nenhum problema em tornar-se ainda mais inteligente. Superinteligente. Nesse ponto, poderia olhar para nós como olhamos para lesmas ou uma Kardashian.
E as IAs não vão necessariamente ter empatia humana. Não temos nenhuma maneira de saber como uma máquina superinteligente pode interpretar a sua programação. Um exemplo clássico é que uma IA originalmente concebida para fabricar clipes pode decidir que a melhor maneira de cumprir a sua tarefa é matar todos os seres humanos e converter todo o universo em clipes.
Mesmo que tenha empatia, isso pode dar errado. Se uma máquina for programada para maximizar a felicidade humana, pode decidir que todos nós seremos mais felizes como cérebros flutuantes em um tanque concebido para estimular nossos centros de prazer.
Por fim, a revolução das máquinas pode estar mais próxima do que pensamos. Em 2016, uma IA projetada pela Google ganhou do grande mestre mundial no jogo de Go, um jogo exponencialmente mais estratégico do que xadrez. Este marco não deveria ser alcançado até 2025.


5. Bioterrorismo
Até o momento, podemos contar nos dedos os principais ataques de bioterrorismo no mundo: o susto de antraz nos Estados Unidos em 2001, o ataque de salmonela em Oregon (EUA) em 1984, e as duas vezes que o culto bizarro e medonho japonês “Aum” atingiu civis com o gás sarin.
Logo, o bioterrorismo não parece muito preocupante. Mas deveria. Conforme a tecnologia melhora, estamos chegando mais perto do ponto onde tornar um vírus mortal é algo bastante prático e fácil. Já em 2012, cientistas da Universidade de Cambridge alertaram que os passos para transformar vírus em armas foram drasticamente simplificados.
A parte realmente assustadora é que os terroristas podem se beneficiar muito com isso. Imagine um grupo com o financiamento do ISIS e a perícia química de Aum trabalhando em conjunto em um mundo onde a criação de uma superbactéria é algo que mesmo um pequeno laboratório pode conseguir. CORRA!


4. Ressurgimento do terrorismo global
Não, o terrorismo ainda não sumiu para falarmos em “ressurgimento”. O ISIS ainda está causando o caos em todo o mundo, a Turquia está uma guerra mortal com os separatistas curdos, ditadores estão destruindo a África, e a Grã-Bretanha anunciou recentemente que espera um ataque de um grupo radical irlandês (Real IRA) em solo inglês em breve.
Mas se você acha que as coisas estão ruins agora, espere até ver o quão ruim elas realmente podem ficar. Se a vontade da Arábia Saudita for feita, ninguém nunca mais vai ser capaz ou estar disposto a entrar em um avião comercial novamente.
No momento, a Arábia Saudita está buscando uma mudança de regime na Síria. O reino está confiante de que a melhor maneira de fazer isso é suprindo os rebeldes com centenas de mísseis superfície-ar. O problema é que alguns desses rebeldes têm laços muito estreitos com grupos terroristas como a Frente al-Nusra. Se os jihadistas se apossarem dessas armas, podemos esperar ouvir muitas mais histórias como a do voo 17 da Malaysia Airlines, abatido sobre a Ucrânia em 2015 em um acidente. Os terroristas agora poderiam deliberadamente alvejar aviões civis, possivelmente em todo o Oriente Médio e Europa.


3. Uma guerra nuclear entre Paquistão e Índia
Paquistão e Índia não são exatamente melhores amigos. Os dois países têm uma história de guerras, conflitos, confrontos e ataques terroristas que se estende até a criação do primeiro, em 1947. Ambos os países também têm acesso a armas nucleares.
Apesar de uma guerra nuclear com a Rússia ou a China ser uma possibilidade péssima, um confronto Paquistão-Índia é tão provável que os analistas têm chamado de “apenas uma questão de tempo”. O governo instável do Paquistão é um problema particular, bem como a insistência da Índia na construção de sua capacidade nuclear.
Até recentemente, ambos os países estavam em um impasse com a sua tecnologia de guerra. Em seguida, a Índia começou a investir em submarinos balísticos, fazendo com que o Paquistão surtasse. Ambos estão agora em uma corrida armamentista que o mundo não tinha visto desde a crise dos mísseis cubanos.
Pior de tudo, uma grande guerra Paquistão-Índia tem o potencial de arrastar a China para a bagunça. A China tem birra com a Índia há anos e pode ficar do lado do Paquistão em um conflito potencial. Nesse caso, três potências nucleares possivelmente deixariam todo o subcontinente em chamas. E, claro, o mundo inteiro seria afetado.


2. Clima mortal
Condições meteorológicas extremas são certeiras no futuro. Enquanto o planeta muda seus hábitos devido às alterações climáticas, as coisas vão ficar um pouco estranhas, para não mencionar mortais.
O mundo deve aquecer cerca de dois graus Celsius no próximo século. Na Grã-Bretanha, por exemplo, os cientistas já estão prevendo um futuro de ondas de calor. Enquanto o país não ficará tão quente quanto a Austrália, por exemplo, será preocupante. Atualmente, o tempo quente mata cerca de 2.000 britânicos idosos a cada ano.
O clima também vai piorar em outras partes do globo. Nos EUA, incêndios florestais vão ficar mais perigosos e frequentes. Furacões e ciclones se tornarão mais intensos e poderosos, e inundações afetarão pessoas em todo o globo.
Se o século 20 foi o século em que a humanidade fez o seu melhor para matar-se através de guerras, o 21 pode ser o século onde a Mãe Natureza vai terminar o trabalho por nós.


1. Contato alienígena
Enquanto isso não parece muito provável, não é impossível. De novo, algumas pessoas extremamente inteligentes (incluindo, mais uma vez, Stephen Hawking) acreditam que poderíamos fazer contato com alienígenas nas próximas décadas. Se isso acontecer, eles também acreditam que só poderia haver um resultado: a destruição total da humanidade.
A maneira clássica para ilustrar isso é usar a imagem de Colombo chegando à América. Os índios em todo o continente não passam hoje de mera lembrança. Exceto que, nesta nova versão, toda a humanidade são os nativos infelizes.
Outros cientistas acham que poderia ser ainda pior. Se a vida inteligente é possível em outros planetas, então civilizações galácticas devem ter evoluído até agora. Nunca termos visto qualquer evidência delas poderia ser um sinal muito ruim. Elas podem não ter nos encontrado ainda, ou estarem nos vigiando, prontas para acabar conosco a qualquer minuto.
Conforme nos dirigimos para colonizar Marte neste século, pode ser apenas uma questão de tempo até que os superpredadores alienígenas nos notem. Se isso acontecer, todo o resto dessa lista vai parecer um passeio no parque. [Listverse]