IMPOSTÔMETRO:

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER --

ANÚNCIO:

ANÚNCIO:

domingo, 9 de outubro de 2016

O Que São Alimentos Orgânicos Exatamente?

Colheita de vegetais
Atualmente, há inúmeras pessoas que estão se dedicando a um estilo de vida saudável. Os alimentos orgânicos se tornaram populares, mas devemos reconhecer que entender o que eles são e interpretar os rótulos pode se tornar uma tarefa difícil. Será que essas pessoas estão consumindo esses alimentos de forma consciente sobre as suas propriedades e funcionalidades?
É interessante sabermos quais vantagens e desvantagens podemos obter através da substituição e inserção de alimentos orgânicos ao nosso cardápio diário. A partir de agora você poderá entender um pouco mais sobre a função desses alimentos para o meio ambiente e também suas vantagens e desvantagens as dietas.

O que são alimentos orgânicos?

O termo “orgânico” refere-se à maneira de como os produtos agrícolas são cultivados e processados. Os requisitos específicos devem ser cumpridos e mantidos para que esses alimentos sejam rotulados com tal termo.
Os alimentos orgânicos devem ser cultivados em solo seguro, não possuir qualquer modificação e devem permanecer separados dos produtos convencionais. Os agricultores não são autorizados a usar pesticidas sintéticos, genes de bioengenharia, fertilizantes à base de petróleo e fertilizantes a base de Iodo de esgoto.
Os animais biológicos devem ter acesso ao ar livre e manterem uma alimentação orgânica. Eles não podem se submeter ao consumo de antibióticos ou hormônios de crescimento.
Adotar o consumo regular de alimentos orgânicos pode ser o começo para uma vida mais saudável. Além de comer mais frutas, legumes, cereais integrais e gorduras boas, você priorizará sua segurança alimentar, sustentabilidade e uma melhor nutrição. Como os alimentos são cultivados ou criados, eles devem ser seguros pra sua saúde e para o meio ambiente.
Muitas pessoas não se sentem motivados em adotar uma alimentação orgânica devido à aparência dos alimentos, o que pode ser considerado uma desvantagem.

Benefícios

Os alimentos orgânicos podem fornecer uma variedade de benefícios. Alguns estudos mostram que eles têm mais nutrientes benéficos, como antioxidantes, se comparados aos seus homólogos cultivados convencionalmente. Além disso, pessoas com alergias a alimentos, produtos químicos ou conservantes, frequentemente se deparam com sintomas e reações adversas devido ao consumo de alimentos com pequenas quantidades de substâncias às quais são intolerantes; assim, os alimentos orgânicos oferecem menos riscos.
Os alimentos orgânicos contêm menos pesticidas. Os pesticidas são produtos químicos como fungicidas, herbicidas e inseticida, amplamente utilizados na agricultura convencional e resíduos permanecem no (e em) os alimentos que comemos.
Os alimentos orgânicos são muitas vezes mais frescos. Quantas vezes já ouvimos que comida fresca possui um sabor melhor? Os alimentos orgânicos são geralmente mais frescos porque não possuem conservantes para durarem por mais tempo. O produto orgânico é muitas vezes (mas nem sempre) produzido em fazendas menores, perto de onde é vendido.
A agricultura biológica é melhor para o ambiente. Práticas de agricultura orgânica reduzem a poluição (ar, água, solo), economizam água, reduzem a erosão do solo, aumentam a fertilidade do solo e usam menos energia. A agricultura sem agrotóxicos também é melhor para as aves próximas e pequenos animais, bem como pessoas que moram perto ou trabalham em fazendas.
Animais organicamente tratados não ingerem antibióticos, hormônios de crescimento, ou subprodutos de origem animal alimentados com produtos processados. O uso de antibióticos na produção de carne convencional ajuda a criar estirpes resistentes aos antibióticos de bactérias. Isto significa que, quando alguém fica doente a partir destas estirpes, eles serão menos sensíveis ao tratamento com antibióticos.
Os alimentos orgânicos são livres de transgênicos. Organismos Geneticamente Modificados (OGM) são alimentos, plantas ou animais cujo DNA foi alterado de forma a não se produzir na natureza ou em cruzamentos tradicionais mais comumente, a fim de serem resistentes a pesticidas ou produzir um inseticida. Na maioria dos países, culturas orgânicas não contêm OGM e carne orgânica vem de animais criados com alimentação livre de OGM orgânica.

Organismos geneticamente modificados (OGM)

Há diversos debates sobre os efeitos dos OGM na saúde e no ambiente. Na maioria dos casos, eles são importantes no aproveitamento de culturas alimentares resistentes a herbicidas e/ou para produzir insectida. Vamos exemplificar:
A maior parte do milho doce que é consumida nos Estados Unidos é geneticamente modificada para ser resistente a um determinado herbicida e para auxiliar na produção de seu próprio inseticida. Por isso, é importante ler os rótulos e atentar para a composição de sua refeição, pois você poderá ingerir alimentos acreditando ser uma escolha saudável, porém, são apenas manipulados.
Essas opções são oferecidas com o objetivo de serem semelhantes aos alimentos orgânicos, assim, menos prejudiciais à saúde. Alimentos enlatados podem conter xarope de milho ou lecitina de soja, sendo reconhecidos por conterem OGM.
Não há estudos que comprovem a segurança no consumo de OGM.
Você deve estar tentando associar os OGM aos alimentos orgânicos, então podemos destacar que esses organismos possuem um profundo efeito sobre o nível de pesticidas presentes em nossos alimentos. A maioria desses alimentos é projetada para intolerância a herbicidas.

É seguro consumir esses alimentos?

Alguns estudos têm indicado que o uso de pesticidas, mesmo em doses baixas, pode aumentar o risco de ocorrência de determinados tipos de Câncer, como linfoma, tumores cerebrais, câncer de mama, de próstata e leucemia.
Crianças e fetos são ainda mais vulneráveis à exposição de pesticidas, pois os sistemas imunitários, corpos e cérebros ainda estão em desenvolvimento. O alto consumo desses alimentos pode ocasionar atrasos no desenvolvimento, distúrbios do comportamento, disfunção motora e autismo.
De acordo com isso, gestantes são mais vulneráveis a ação de pesticidas, principalmente porque estes podem ser transmitidos de mãe para o filho no útero e também através do leite materno. O consumo a longo prazo pode causar efeitos sobre o sistema nervoso.
O uso generalizado de pesticidas tem levado ao surgimento de “super ervas daninhas” e “super bactérias”, que só podem ser mortas com venenos extremamente tóxicos, como ácido 2,4-diclorofenoxiacético.
Em vez de pesticidas ou fertilizantes sintéticos, os agricultores orgânicos dependem de diversidade biológica no campo para reduzir naturalmente o habitat para organismos de pragas. Os agricultores biológicos também propositadamente mantêm e repõem a fertilidade do solo.

Alimentos orgânicos x Alimentos não-orgânicos

O produto orgânico:
  • Livre de agrotóxicos em sua produção;
  • Desenvolve-se com fertilizantes naturais (esterco, adubo);
  • As ervas daninhas são controladas naturalmente (rotação de culturas, capina manual);
  • Insetos são controlados através de métodos naturais (aves, insetos bons, armadilhas).
O produto não-orgânico:
  • Uso de pesticidas;
  • Desenvolve-se com fertilizantes sintéticos ou químicos;
  • As ervas daninhas são controladas com herbicidas químicos;
  • Os inseticidas são usados para gerenciar pragas e doenças.

Carne e laticínios orgânicos

A carne orgânica, os produtos lácteos e ovos são produzidos a partir de animais que são alimentados com produtos orgânicos, não-OGM. Eles devem ser mantidos em condições compatíveis ao comportamento natural dos animais vivos. Ruminantes devem ter acesso a pastagens. Gado e aves orgânicos não podem ser tratados com antibióticos, hormônios ou medicamentos na ausência de doença; no entanto, eles podem ser vacinados contra a doença.
O uso de parasiticida (uma substância usada para destruir os parasitas) é estritamente regulado. Doenças de animais e parasitas são controladas principalmente por meio de medidas preventivas, tais como pastejo rotacionado, dieta equilibrada, alojamento decente e redução do estresse.

Entendendo os rótulos dos alimentos orgânicos

O que os rótulos dos alimentos, como “orgânico” e “natural” realmente significam? Compreender esta terminologia é essencial quando você está comprando alimentos orgânicos.
O ponto mais importante a lembrar é que “natural” não é igual a orgânico. “Natural” em alimentos embalados é um termo não regulamentado, que pode ser aplicado por qualquer pessoa, ao passo que a certificação “orgânica” significa que os padrões de produção foram cumpridos.
Estes padrões de produção podem variar de país para país, sendo que nos Estados Unidos, por exemplo, apenas o rótulo “USDA Organic” indica que um alimento é orgânico certificado. As etiquetas de certificação similares também são oferecidas em produtos orgânicos em outras partes do mundo, incluindo a União Europeia, Canadá e Austrália.
No Brasil, podemos destacar certificadoras reconhecidas pelo Ministério da Agricultura, como a Associação de Agricultura Orgânica (AAO) e o Instituto Biodinâmico (IBD), os quais estão presentes na avaliação dos produtos a serem disponibilizados para o seu consumo.
  • 100% orgânico: Os alimentos são totalmente orgânicos ou feitos com 100% de ingredientes orgânicos podem exibir o selo USDA.
  • Orgânico: Os alimentos que contêm pelo menos 95% de ingredientes orgânicos podem exibir o selo USDA.
  • Alimentos feitos com ingredientes orgânicos: alimentos que contenham pelo menos 70% de ingredientes orgânicos não apresentam o selo USDA, mas podem listar ingredientes orgânicos específicos na parte da frente da embalagem.
  • Contêm ingredientes orgânicos: Os alimentos que contêm menos de 70% de ingredientes orgânicos não apresentam o selo USDA, mas podem listar ingredientes orgânicos específicos no painel de informações do pacote.

Mantendo o custo dos alimentos orgânicos dentro do seu orçamento

Os alimentos orgânicos são muitas vezes mais caros que os alimentos convencionalmente manipulados. Mas se você definir algumas prioridades, pode ser possível comprar alimentos orgânicos e ficar dentro do seu orçamento de alimentos.
Você pode analisar os alimentos de acordo com seu paladar, e então comprar as versões orgânicas daqueles que você come mais e buscar as versões menos prejudiciais dos demais alimentos.

Dicas de compra de alimentos orgânicos

  • Compre na temporada: Frutas e vegetais são mais baratos e mais frescos quando estão em temporada. Você também pode saber quando o produto é entregue no seu mercado. Dessa forma, você sabe que está comprando o alimento mais fresco possível.
  • Compare: Compare o preço de produtos orgânicos no supermercado, mercado dos agricultores e qualquer outro local.
  • Lembre-se que nem sempre orgânico significa saudável: Comidas de fast food podes ser facilmente feitas com ingredientes orgânicos. Fazer esse termo soar saudável é uma jogada de marketing comum na indústria de alimentos, mas assados orgânicos, sobremesas e lanches têm geralmente ainda muito elevados teores de açúcar, sal, gordura ou calorias. Vale a pena ler os rótulos dos alimentos com cuidado.

Por que os alimentos orgânicos muitas vezes são mais caros?

O alimento orgânico é mais trabalhoso, já que os agricultores não usam pesticidas, fertilizantes químicos ou drogas. A certificação orgânica e manter esse status pode custar caro. Alimentos biológicos para animais podem custar o dobro. As fazendas orgânicas tendem a ser menores do que fazendas convencionais, o que significa custos fixos e despesas gerais, os quais devem ser distribuídos em menores volumes de produtos hortifrutícolas. Um dos maiores fatores é que as fazendas orgânicas são muito pequenas para receber subsídios do governo.
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)


Leia mais http://www.mundoboaforma.com.br/o-que-sao-alimentos-organicos-exatamente/#yUgWYL0TrDJsAkSg.99